JF. sexta-feira 23 jun 2017
OUÇA AGORA
Publicidade
19 de abril de 2017 - 19:43

Audiência discute reestruturação da Getúlio Vargas

Por Tribuna

 

(Foto: Marcelo Ribeiro)

(Foto: Marcelo Ribeiro)

Troca de linhas, atrasos nos horários e mudança de itinerários do sistema de transporte público de Juiz de Fora foram debatidos nesta quarta-feira (19) no plenário da Câmara por representantes de associações de bairros, da Settra e do Sindicato dos Trabalhadores em Transporte Rodoviário de Juiz de Fora. Na audiência pública, proposta pelo vereador Cido Reis (PSB), foram levantados, ainda, temas como segurança dos trabalhadores e dos usuários do transporte e manutenção dos veículos, além da reestruturação da Avenida Getúlio Vargas, que segundo os usuários, o local não possui estrutura para mais de 20 linhas de ônibus.

De acordo com o presidente da Associação de Moradores do Bairro Santa Luzia e adjacências, Ary Raposo, por conta dos constantes atrasos das linhas de ônibus da região, a Settra propôs uma diminuição do número de veículos para desafogar o trânsito na região central da cidade. No entanto, Ary acredita que essa medida iria prejudicar os moradores. “A Settra falou em reestruturação de horário, ou seja, diminuir o número de ônibus. A população não aceita isso. O problema não está no horário dos ônibus. Uma solução seria desviar alguns carros que vêm da Zona Norte e utilizar mais a Avenida Brasil para desafogar o trânsito”, sugere.

O secretário da Settra, Rodrigo Tortoriello, contestou que a ideia seja diminuir as linhas. Ele destaca que, com o crescimento do número de veículos na cidade, há necessidade de readequação dos itinerários. “O que foi debatido com a comunidade é, que para atender o descanso remunerado de trocadores e motoristas dos coletivos, é preciso diminuir alguns horários para não ficar tão apertado.” Tortoriello acrescentou também que a verba do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento) para reforma da Avenida Getúlio Vargas já está liberada, restando, portanto, o projeto e a implantação da reforma. Mas Tortoriello considera fundamental a utilização da Avenida Brasil como via alternativa para o transporte coletivo.

“Convocamos os representantes dos bairros para que compareçam à Settra a fim de debatermos uma melhor utilização da Avenida Brasil, que hoje está subutilizada para o transporte coletivo e tirar veículos da Getúlio Vargas. Assim, a gente consegue distribuir melhor o atendimento, evitar atrasos e melhorar a qualidade do serviço”, espera o secretário.

Publicidade


12 comentários

  1. ALEXANDRE MARTINS disse:

    falar em fiscalizar os camelos e ambulantes irregulares que sujam em todos os sentidos a Via, ninguem fala, como tb n falam em viadutos , politicos pequenos , cabeças pequenas, tem que visualizar p daqui a 20/30 anos, nao so agora, JF sendo uma regiao meropolitana e governada por sindicos, ja tem um tranporte coletivo pessimo, e ainda querem tirar, sao ridiculos, em vez de consertar o problema, querem fazer novos, Quando a av Brasil tiver inviavel tb , faz o q…compra uma vassoura e voa?

  2. Fábio disse:

    Transforma a Getulio Vargas em Calçadão também ! Ô cidade para ter calçadões e quebra molas. Só coisas que ajudam o transito fluir bem !

  3. Jorge Iório disse:

    Que absurdo! A SETTRA propondo redução do número de carros nas linhas de ônibus para desafogar o trânsito! Daqui a pouco, só quem terá direito de circular pela cidade, será quem tem carro próprio. Estão de brincadeira com a população! Para mim, isso é um verdadeiro escárnio a quem se utiliza do já caótico transporte urbano de Juiz de Fora.

  4. Victor Sartini disse:

    Não só a Getúlio Vargas deve ser reestruturada, mas sim todo o Centro apesar de não ter espaço para isso devido ao crescimento desorganizado da cidade.

  5. Prof Marília Serpa disse:

    O problema maior está na Rio Branco é JK, e os que se dizem especialistas estão olhando a Getúlio ?? Me parece uma grande miopia da SETTRA. O volume de acidentes e mortes na Rio Branco é JK são assustadores. Os números mostram que estão entre os maiores do Brasil. Troquem as lentes de seus óculos, refaçam esses péssimos projetos de engenharia de transito, modifiquem o traçado e o projeto das vias, instalem novos equipamentos e reduzam o número dos acidentes e mortes na cidade. Simples !

  6. Pedro Certo disse:

    Aonde e em quais vias temos mais problemas e acidentes com mortes na cidade ?. Certamente não é a Getúlio Vargas. Os grandes problemas estão na Rio Branco é na JK. Mas a Miopia da SETTRA não permite enchegar aonde temos problemas. A getúlio precisa ser revista sim, mas hoje, as mortes acontecem na Rio Branco é na JK. Simples questão de prioridade é falta de visão da PJF.ACORDA BRUNO SIQUEIRA !! ESSA TURMA DA SETTRA NÃO SABE NADA !!

  7. cica60 disse:

    Com certeza a maioria das pessoas utilizam o carro é por necessidade, por necessitarem de um deslocamento mais rápido, seguro e com conforto. Com o preço do combustível, poucos podem usar o carro por mero capricho. Ponham transporte com qualidade que os carros sumiram em grande quantidade das ruas.

  8. Eduardo disse:

    O José Luiz Brito Bastos, acha que estamos em um pais de 1º mundo ou ao menos em uma cidade que vislumbre ser um dia modelo. Se nosso transporte público funcionasse, se tivéssemos ônibus o bastante circulando, se tivéssemos uma cidade planejada etc etc acho que deixar carro em caso poderia funcionar.

  9. Thiago disse:

    Infelizmente o problema da Getúlio não se resume apenas aos ônibus, ela é a cara do juiz forano, povo sem educação para todos lados, seja como pedestre, funcionários de estabelecimentos, motorista de ônibus,carro e moto. Quer ver bagunça passe pela getúlio.

  10. ANDRE disse:

    Tem que perguntar ao TORTORIELLO é se esta verba liberada para a REESTRUTURAÇÃO DA GETÚLIO VARGAS inclui a retirada dos vendedores ambulantes e camelôs que ocupam as calçadas . Com a saída das barracas da av . o transito vai fluir muito melhor, o problema é o ESCONDIDINHO querer mexer com este pessoal .

  11. José Luiz Britto Bastos disse:

    Concordo plenamente, com o Secretário da SETTRA Rodrigo Tortoriello. Sugiro, no entanto, a proibição do trânsito de automóveis pela Avenida Getúlio Vargas, como parte de um processo gradativo, que tenha por objetivo, excluir o automóvel da área central da cidade. Precisamos evoluir, reduzir ao máximo a circulação de automóveis, usar mais o transporte coletivo e priorizar o pedestre, no sentido de melhorar a qualidade de vida da população.

  12. jose lair de oliveira disse:

    Juiz de Fora precisa e de um terminal urbano

*

Restam 500 digitos

 

Top