JF. domingo 30 abr 2017
OUÇA AGORA
Publicidade
16 de março de 2017 - 19:16

Brasil retoma contratações, mas Juiz de Fora mantém perda de postos

Na cidade, foram extintos 391 empregos com carteira assinada. No país, saldo positivo foi de 35. 612 vagas
Por Tribuna

Embora no país, pela primeira vez em dois anos, a criação de empregos foi maior do que a extinção de postos, Juiz de Fora continua demitindo mais do que contratando. Em fevereiro, foram eliminados 391 empregos formais, resultado de 3.820 contratações e 4.211 dispensas. O resultado é muito próximo do verificado no mesmo mês de 2016, quando o saldo ficou negativo em 337 oportunidades. Os dados integram o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgado ontem pelo Ministério do Trabalho e Emprego (MTE). Em janeiro, a cidade também apresentou resultado negativo (-541). No ano, são menos 943 oportunidades com carteira assinada.

O saldo positivo de 35.612 vagas no país em fevereiro foi o primeiro crescimento do mercado de trabalho desde abril de 2015. Conforme o MTE, os números mostram recuperação em áreas importantes da economia, como a indústria de transformação e o setor de serviços. Minas Gerais foi o quarto estado com melhor desempenho (9.025), só perdendo para São Paulo (25.412), Santa Catarina (14.858) e Rio Grande do Sul (10.602). Para o ministro do Trabalho, Ronaldo Nogueira, a retomada do crescimento indica aumento dos investimentos e da confiança de empresários e trabalhadores na economia.

A divulgação dos dados sobre o mercado de trabalho em fevereiro estava prevista originalmente para o dia 20 de março, mas acabou sendo antecipada por um pedido de última hora.

 

Publicidade


2 comentários

  1. Ricardo disse:

    Trabalhei muito anos na PJF e presenciei a falta de interesse dos antigos Prefeitos e Vereadores na instalação de grandes Industrias e empresas de tecnologia na cidade. O interesse sempre foi no comercio do centro da cidade. Muitas oportunidades foram perdidas. Atender o interesse de amigos e familiares no comercio era a prioridade. Agora nossos filhos e sobrinhos se formam e não tem emprego na cidade. Precisam deslocar para São Paulo e Rio de Janeiro para trabalhar ou ir para o comercio local.

  2. Renato disse:

    Eu não entendo País quebrado …. Brasil já era …. JF está quebrada!

    Contratações no CERESP ??? Papo Furadoooo … Conversa pra Boi Dormir!

*

Restam 500 digitos

 

Top