Enem 2017: Vunesp, FGV e Cesgrangrio serão as responsáveis pela correção das provas

As redações serão corrigidas pela Vunesp. Já a correção das avaliações de múltipla escolha será feita pelas fundações Getúlio Vargas e Cesgranrio

Por Tribuna

14/07/2017 às 14:23hs - Atualizada 14/07/2017 às 14:24hs

Após as mudanças relacionadas aos dias de aplicação das provas, o Enem 2017 sofreu outra alteração para esta edição de 2017: a correção das redações e das avaliações de múltipla escolha serão realizadas, respectivamente, pela Fundação para o Vestibular da Universidade Estadual Paulista (Vunesp) e fundações Getúlio Vargas (FGV) e Cesgranrio.

 

Vunesp, FGV e Cesgranrio serão as responsáveis pela correção das provas do Enem 2017

 

Até o ano passado, a instituição responsável por toda correção do processo seletivo era o Centro Brasileiro de Pesquisa em Avaliação, Seleção e Promoção de Eventos (Cebraspe), o antigo Cespe.




O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) informou, em nota, que o trabalho das fundações será apenas o da aplicação e correção do Enem.

 

Isso significa que a parte de elaboração das questões continuará a cargo dos pesquisadores do Inep e da Diretoria de Avaliação da Educação Básica, com o apoio de professores universitários selecionados por critérios técnicos e de regionalidade.

 

Ainda segundo a nota, não houve mudança nas orientações sobre como a Vunesp deve corrigir as redações.

O conteúdo continua após o anúncio

 

Essa prática continua sendo baseada na cartilha do Enem, um documento elaborado pelo Inep, com 64 páginas esclarecedoras sobre os critérios de correção das redações do Exame.

 

Enem 2017: outras mudanças

 

Depois de 7 anos sem modificações em seu formato, a edição 2017 do Exame Nacional do Ensino Médio sofreu outras alterações importantes. Confira abaixo:

 

  • – As datas das provas passaram a ser em dois domingos consecutivos: 5 e 12 de novembro; até a edição de 2016, as avaliações eram aplicadas sábado e domingo de um único final de semana;
  • – Não valerá como certificado do ensino médio: nos anos anteriores, os alunos poderiam utilizar a nota da prova como certificado de conclusão do ensino médio. Com a mudança, adultos que desejarem ter o diploma do ensino médio deverão finalizá-lo de outras maneiras;
  • – Mais critérios para isenção: antes, apenas os alunos que concluíram ou cursavam o terceiro ano do ensino médio na rede pública podiam fazer a prova sem o pagamento. Na edição deste ano, as pessoas que tiverem cadastro no programa CadÚnico também terão direito à isenção;
  • – Cadernos personalizados: Agora o aluno receberá um caderno com seu nome e um cartão de respostas específico. As últimas provas eram dividas em cadernos coloridos e as questões variavam dentro de cada uma dessas divisões;
  • – Sem dados específicos: diferente das provas passadas, não serão divulgadas publicamente estatísticas referentes às escolas, como rankings. Esses dados estarão disponíveis apenas para que as próprias instituições façam comparações;
  • – Alunos que seguem religiões sabatistas farão provas junto aos outros estudantes, sem diferenças de horário de aplicação: até o ano passado, os sabatistas que prestavam o exame ficavam isolados em salas de aulas de 13h (horário de Brasília) às 19h, quando finalmente eram autorizados a fazer as provas;

Cronograma do Enem 2017:

  • 12h – Abertura dos portões
  • 13h – Fechamento dos portões
  • 13h a 13h30 – Procedimentos de segurança na sala de prova
  • 13h30 – Início das provas
  • 19h – Término das provas do dia 5/11
  • 18h – Término das provas do dia 12/11

 

Leia: Tudo sobre o Enem 2017

Leia também

Desenvolvido por Grupo Emedia