JF. sábado 25 mar 2017
OUÇA AGORA
Publicidade
10 de janeiro de 2017 - 16:11

Câmara adia publicação de edital de concurso

Por Eduardo Maia

A Câmara Municipal adiou a publicação do edital do concurso público que estava prevista para esta quarta-feira (11). A decisão ocorre após a solicitação do Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) para o encaminhamento de cópias do documento e do contrato firmado com a Fundação Mariana Resende Costa (Fumarc), instituição ligada à PUC Minas, responsável pela realização do processo seletivo.

De acordo com a assessoria do Palácio Barbosa Lima, a documentação foi protocolada na tarde da última segunda-feira junto à Promotoria de Direitos Humanos e Patrimônio Público, atendendo à manifestação feita pelo órgão em 18 de dezembro. A entrega foi realizada agora, diante do recesso judiciário, que terminou na última segunda.

Segundo a assessoria da Câmara, será necessário aguardar o parecer do promotor Paulo César Ramalho, a fim de que possa ser definida uma nova data para a publicação do edital. A assessoria de imprensa do Ministério Público informou que o promotor encontra-se em férias e, portanto, não tem como informar sobre a situação do pedido.

A definição da empresa responsável por realizar o certame ocorreu no ano passado. A proposta do concurso é equilibrar o número de servidores de carreira em relação ao quadro de comissionados. Um levantamento feito pela Tribuna apontou que menos de 30% – excluindo do cálculo os assessores de gabinete – dos funcionários da Câmara são concursados.

O concurso vai oferecer 30 vagas para cargos efetivos, com foco voltado para profissionais como advogados, redator, psicólogo, jornalistas, administrador de gestão de recursos humanos, técnicos em informática e segurança do trabalho e analistas nas áreas de política urbana, meio ambiente, saúde pública, educação e cultura e ciências sociais e políticas.

Também serão criados 11 cargos de assistentes legislativos I. Os salários vão de R$ 1.454 a R$ 4.502 para cumprimento de jornada de oito horas por dia, a exceção de jornalista com seis horas diárias. Os servidores ainda terão direito a tíquete-alimentação de R$ 623, auxílio-transporte e convênios de saúde.

 

 

Publicidade


3 comentários

  1. maiycon chagas disse:

    Rodrigo e a Mesa Diretora eleita por todos os vereadores, menos Betão, com voto até do incompetente do Castelar, vai enrolar a cidade. Rodrigo prometeu esse concurso há mais de dois anos e até hoje nada. Esse adiamento é uma tabelinha da Mesa Diretora com o MP, sempre pronto a auxiliar essa turma. Esses 18 vereadores que elegeram Rodrigo e a nova Mesa não querem concurso. A chapa foi construída com acordos que envolvem as indicações de apadrinhados. Serviço de servidor feito por puxa sacos..

  2. caio disse:

    CARO COLEGA SANTOS FALADOR. CONCORDO EM PARTE COM O QUE VOÇÊ DISSE, PORÉM VAMOS AS CONSIDERAÇÕES :JUIZ DE FORA OS CONCURSOS SÃO RAROS, O SUB- EMPREGO IMPERA E AS RAPOSAS VELHAS DO SERVIÇO PÚBLICO NÃO DEIXAM TER CONCURSO. A INICIATIVA PRIVADA TEM MUITAS INDICAÇÕES, OU SEJA, PARA CONSEGUIR UMA BOA VAGA NO SERVIÇO PRIVADO É NECESSÁRIO INFLUÊNCIA TAMBÉM. AS PESSOAS ACHAM QUE INDICAÇÃO É SÓ PÚBLICO. TENTA ARRUMAR UM EMPREGO PRA GANHAR SALÁRIO MÍNIMO PARA VOÇÊ VER SE ACHA FÁCIL. PENSE ANTES DE FALAR

  3. Santos Falador disse:

    Concurso em JF é motivo de desconfiança. MP já até sabe.

*

Restam 500 digitos

 

Top