Publicidade

19 de Maio de 2011 - 07:00

Mercedes-Benz apresenta nova geração da linha com dois mil novos componentes

Por Juliana Duarte - A editora viajou a convite da Mercedes-Benz.

Compartilhar
 
Principais mudanças estão na dianteira, agora mais robusta
Principais mudanças estão na dianteira, agora mais robusta

Campinas (SP) - Ao comemorar 125 da invenção do primeiro automóvel motorizado e 55 anos de operação no Brasil, inovação continua sendo a palavra de ordem na Mercedes-Benz. Quase seis meses após o lançamento mundial da nova Classe C - em janeiro, no Salão de Detroit (EUA) -, a empresa alemã apresentou, na última terça-feira, o face-lift do modelo no Brasil. Citando a marca de mais de mil 80 pedidos de registro de patentes automotivas, o diretor de vendas da Mercedes no Brasil, Dimitris Psillakis, destaca que a renovação do modelo - lançado pela primeira vez em 1982 e atualizado pela última em 2007 - teve, para esta versão, cerca de 2 mil itens atualizados ou substituídos. Tamanha preocupação se explica com números. O classe C é o modelo mais vendido pela Mercedes em todo o mundo, com a marca de 8,5 milhões de unidades comercializadas nestes 30 anos, representando 60% das vendas. Só no Brasil, já foram vendidos 12 mil carros da linha.

Na recém lançada versão, as mudanças começam pelo conceito, que deixou o carro mais esportivo e moderno, mas mantendo a elegância, visando ampliar o público do modelo. Para isso, além de reformular o design, a empresa também vem investindo no marketing e na interatividade. Como parte desta estratégia, o Classe C ganhou página nos sites de relacionamento Twitter e Facebook, com dicas e atualizações diárias.

Na parte visual, a maior renovação foi na dianteira, que ficou mais robusta, imponente, com demarcação clara entre as linhas, superfícies mais lisas, para-choque marcante e a grade do radiador mais larga, com a estrela central integrada. Na traseira, dois spoilers e o para-choque são bem marcados, enfatizando a largura do carro e melhorando sua aerodinâmica. A lateral foi a parte que menos passou por mudanças, mas as linhas em direção à traseira e as rodas de liga leve de 17 polegadas com novo design ajudam a compor o estilo esportivo.

Na parte interna, os materiais de revestimento são novos, trazendo mais qualidade e sofisticação. O painel de instrumentos também foi todo remodelado, passando a contar com visor central em cores integrado, que permite mais clareza na leitura das informações, além de navegador GPS e bluetooth de série na versão 250. O volante é multifuncional, com 12 botões e design esportivo.

O quesito segurança foi reforçado com o Attention Assist, que já era oferecido no Classe E. O sistema analisa continuamente o comportamento do condutor e emite sinais visual e sonoro quando detecta características típicas de sonolência ou desatenção. Outras inovações na segurança são: Parktronic, com orientação de estacionamento (na C 250 CGI Sport), que auxilia o motorista na procura de uma vaga e a estacionar o veículo; Intelligent Light System com LED para condução diurna, e assistente de farol alto, além de farois direcionados para esquinas e curvas em rodovias.

O câmbio com transmissão automática de sete velocidades, é outra grande novidade, permitindo trocas de marchas rápidas e suaves.

Já o motor é o mesmo CGi com injeção direta de gasolina lançado em setembro de 2009. Ele é baseado no conceito BlueEfficiency, que amplia a eficiência da combustão, oferecendo maior potência, redução no consumo de combustível e nas emissões de CO2.

Mesmo com tanta modernização, os preços da Classe C ficaram cerca de 1,5% mais caros. A versão de entrada 180 CGi tem valor sugerido de R$ 116.900. A 200 CGi Avantgarde sai por R$ 150.900 e a 250CGi Sport, a partir de R$ 191.900. Para junho está prevista a chegada ao país das versões C 200 Touring e AMG Sedan e Touring. No último trimestre devem desembarcar por aqui a estreante versão cupê e a 350.

Galeria de Imagens

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você concorda com o TJ, que definiu que táxi não pode ser repassado como herança?