Publicidade

12 de Dezembro de 2013 - 07:00

Sedã tem visual caprichado e é bem equipado, mas preço elevado ainda desanima

Por IGOR MACÁRIO

Compartilhar
 
Versão topo, trazida do México, custa quase R$60 mil
Versão topo, trazida do México, custa quase R$60 mil

A versão sedã sempre teve uma função "nobre" dentro da linha do novo Ford Fiesta. Ele abriu caminho por aqui para a nova geração, ainda em 2010, como compacto premium. Não só era bem completo como trazia equipamentos e recursos inéditos entre carros pequenos. Comercialmente, ele agora faz um papel de coadjuvante para o hatch. Inclusive porque só é oferecido em duas versões bem completas e apenas com o motor mais potente da linha, 1.6 litro. A configuração, ainda trazida do México, beira os R$ 60 mil na versão topo Titanium com câmbio automatizado. Com câmbio manual, fica por R$ 55.490. Os valores elevados explicam o desempenho no mercado, que emplaca cerca de 1.200 carros por mês - 40%, ou 500 unidades, com transmissão manual.

Sob o capô, o motor 1.6 litro foi atualizado para a linha 2013 e desenvolve bons 130cv a 6.500rpm. O torque chega a 16,2 kgfm a elevadas cinco mil rotações. O conjunto é suficiente para levar o sedã de zero a 100km/h em 12 segundos e à velocidade máxima de 190km/h. O propulsor, da família Sigma, é moderno, ganhou comando variável de válvulas na admissão e no escape e é acoplado a um câmbio manual de cinco marchas - a transmissão automatizada de dupla embreagem e seis velocidades é opcional.

A versão Titanium traz de série itens importantes como ar-condicionado automático, trio elétrico, sete airbags - que incluem um para o joelho do motorista - e ainda controles de estabilidade e tração, com direito a assistente de partida em rampas. Há também revestimento interno em couro, sensores crepuscular e de chuva e controlador de velocidade de cruzeiro. O sistema multimídia Sync aceita comandos por voz, mas tem suas informações dispostas numa pequena tela no alto do painel, na contramão da concorrência, que já aposta em displays maiores e sensíveis ao toque.

A reestilização promovida no meio do ano fez bem ao Fiesta sedã. A frente com a grade trapezoidal e filetes cromados deu mais elegância e esportividade ao conjunto. A linha de cintura alta é destaque, que termina num terceiro volume discreto e harmônico com o restante do conjunto. A inspiração nos sedãs maiores da marca - como o Fusion - é óbvia e não cai nada mal. Certamente, o visual e o pacote de equipamentos do New Fiesta sedã Titanium são seus maiores atrativos, ainda que tenham uma etiqueta de preço relativamente elevada.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você pretende substituir o ovo de Páscoa por outros produtos em função do preço?