Publicidade

30 de Janeiro de 2014 - 07:00

Muita tecnologia, desempenho pouco convincente e preço alto

Por EDUARDO ROCHA

Compartilhar
 
Modelo equipado com motor 1.6 turbo de 156cv custa R$ 150.500
Modelo equipado com motor 1.6 turbo de 156cv custa R$ 150.500

No mundo inteiro, a função do Mercedes-Benz CLA é rejuvenescer a imagem da montadora alemã e servir como porta de entrada para os sedãs de luxo. No Brasil, apesar de ostentar um visual bem moderno, a versão batizada pomposamente de First Edition tem um preço que dificilmente será capaz de atrair um consumidor preocupado com o custo de um automóvel. São R$ 150.500 por um modelo equipado com um modesto motor 1.6 turbo de 156cv. Isso é pelo menos 30% acima do valor que se pede por um Classe C180, com o mesmíssimo motor. É bem verdade que o CLA é recheado de equipamentos de segurança e tem "gadgets" bastante desejáveis. Mas também deixa de fora vários outros. A explicação é simples: não se trata de um erro, mas de uma estratégia.

O CLA entra na cota de importados da marca, que conta com modelos muito mais lucrativos que ele, como as classes E, ML e S, entre as várias letrinhas que designam os carros da marca. A solução então foi torná-lo rentável - com um preço bem gordo - para pescar os admiradores desapegados do modelo. Para os demais, é o caso de esperar a chegada do novo Classe C, no segundo semestre, que vai usufruir da benesse do Inovar-Auto. Pelas regras, os modelos em vias de fabricação no Brasil podem ser importados fora de cota e sem sofrer com o IPI adicional nos dois anos anteriores à produção. O volume estabelecido é de 50% do total anual prometido. Como a nova fábrica de Iracemápolis terá capacidade para fazer 20 mil Classe C por ano, são dez mil unidades liberadas em 2014 e outras dez mil em 2015.

Como bom carro de vitrine, o CLA200 traz uma enorme quantidade de recursos eletrônicos de

auxílio dinâmico e de segurança. Mas não tem o nível de requinte que se espera de um modelo médio de preço tão elevado. A central multimídia com Bluetooth e GPS, com monitor de sete polegadas, não é sensível ao toque nem comandada por voz, por exemplo. O revestimento dos bancos é em couro sintético, o aplique de alumínio do painel é, na verdade, um plástico mais jeitoso. Tem ausências pouquíssimo explicáveis, como de sensor ou câmera de ré ou de ajustes elétricos nos bancos.

O motor responsável por animar o CLA200 é o mesmo que movimenta o Classe A200 e também traciona as rodas dianteiras - boa parte dos sistemas de auxílio à condução são exatamente para amortecer o desconforto causado pela transmissão de potência na direção. Seus 156cv são acompanhados por um torque de 25,5 kgfm entre 1.250 e 4.000rpm. Mesmo com um propulsor pouco convincente sob o capô, não há como negar o poder de atração das linhas do novo sedã das Mercedes. E é na beleza do CLA que a marca aposta quanto prevê que vai emplacar neste ano 1.400 unidades do modelo - 800 do First Edition e 600 de duas futuras versões, uma mais barata e outra superior, possivelmente com tração integral.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você concorda com o TJ, que definiu que táxi não pode ser repassado como herança?