Publicidade

09 de Janeiro de 2014 - 07:00

Espaço, luxo e esportividade em um só pacote

Por RAPHAEL PANARO

Compartilhar
 

A briga pelo mercado de luxo brasileiro vai até os mais altos escalões. Na disputa dos supersedãs esportivos alemães, a BMW entrou forte em janeiro de 2013. Foi quando a marca bávara lançou seu representante: o "apimentado" M6 Gran Coupé. O cupê de quatro portas veio fazer frente a rivais como Mercedes-Benz CLS 63 AMG e a Audi S7 V8. E em novembro do ano passado a fabricante trouxe o carro ao Brasil com a estrondosa etiqueta de R$ 579.950 - menos que os R$ 551 mil pedidos pela Audi e pouco mais que os R$ 583 mil da Mercedes. E o modelo chegou com o status lá em cima.

O M6 Gran Coupé usa o conjunto mecânico da versão duas portas - e também do M5. No lugar do antigo V10, está o V8 4.4 litros biturbo capaz de gerar generosos 560cv na faixa entre seis mil e sete mil rpm - bem mais que os 420cv do S7 e virtualmente idêntico ao CLS 63 AMG e seus 557cv. O torque é de impressionantes 69,3kgfm, disponíveis já a 1.500 giros. Associado ao propulsor está a transmissão automatizada de sete marchas e dupla embreagem. Ele transfere a potência para o eixo traseiro. Apesar de ser maior e mais pesado que o cupê - 1.950kg contra 1.925kg -, o M6 de quatro portas cumpre o zero a 100km/h nos mesmos 4,2 segundos. A máxima é limitada eletronicamente a 250km/h - a remoção do limitador é opcional e o carro pode chegar a 305km/h. Com o pacote opcional Competition, é possível elevar a potência para 575cv.

Para controlar tanta força, além do tradicional arsenal de equipamentos de segurança, como controle de estabilidade, tração e freios ABS, o M6 traz a possibilidade de configurar o carro de acordo com as intenções do motorista pelos modos Comfort, Sport e Sport Plus. O carro ainda vem com sistema de freios regenerativos, que transforma a força de frenagem em eletricidade para alimentar os equipamentos

eletrônicos e recarregar a bateria. No interior, o modelo traz tudo que a BMW pode oferecer para o Série 6. O acabamento é luxuoso e tem detalhes em fibra de carbono, o volante esportivo M é revestido em couro, assim como os bancos. O teto é em Alcântara, um composto de poliéster e poliuretano que tem a aparência e sensação tátil semelhantes à camurça. Ainda estão presentes o ar-condicionado digital em quatro zonas, dispositivo de som premium Bang & Olufsen com 16 alto-falantes, sistema de navegação com tela 3D de 10,2 polegadas e câmara de visão noturna com reconhecimen

to de pedestres - a uma distância de 300 metros por meio de sensores infravermelho.

O visual é o mesmo dos Série 6 "convencionais". A tradicional grade bipartida cromada está lá. A diferença está nos detalhes, que deixam claro de que se trata de um autêntico produto da Motorsport. O para-choque dianteiro ganhou entradas de ar maiores para os intercoolers e deixou o modelo com um toque mais "selvagem" que as versões "civis". Além das rodas de 20 polegadas e o teto de fibra de carbono para aliviar o peso, as quatro saídas de escapamento na traseira chamam atenção.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você aprova o retorno de Dunga para o comando da Seleção Brasileira?