Publicidade

24 de Abril de 2014 - 06:00

Versão diesel de oito marchas chega para reforçar a linha

Por LUIZ HUMBERTO M. PEREIRA

Compartilhar
 
Modelo traz propulsor 3.0 litros CRD Turbo Diesel V6 e novo câmbio automático de oito marchas
Modelo traz propulsor 3.0 litros CRD Turbo Diesel V6 e novo câmbio automático de oito marchas

A Grande Cherokee já está no Brasil nas versões Laredo e Limited - sempre a gasolina -, mas a grande aposta da Jeep é mesmo na nova versão diesel. Mais especificamente, a Jeep aposta na afinada combinação do propulsor 3.0 litros CRD Turbo Diesel V6, produzido pela italiana VM Motori, com o novo câmbio automático de oito marchas da alemã ZF, com acionamento manual através de borboletas no volante - que substituiu o antigo de cinco velocidades.

Com a incorporação total da Chrysler à Fiat - desde janeiro desse ano, ambas formam juntas a Fiat Chrysler Automobiles -, o intercâmbio de tecnologias entre as marcas do grupo tende a se incrementar. A VM Motori é uma subsidiária da FPT, tradicional empresa de motores do Grupo Fiat que tem grande expertise na produção de propulsores diesel para automóveis na Europa, onde o combustível é fartamente utilizado em carros de passeio. Agora incorporada à linha 2014, a motorização diesel fabricada na cidade de Cento, na região italiana da Emilia-Romagna, vai continuar a tarefa de dividir por aqui as vendas da linha Grand Cherokee com o Pentastar V6 a gasolina - esse sim 100% Chrysler.

O vigoroso "cuore italiano" do utilitário é um Multijet II, com turbo de geometria variável e sistema de injeção common-rail de última geração. Ele é capaz de render 241cv a quatro mil rpm e 56kgfm de torque entre 1.800 e 2.800rpm. Com diversos componentes em alumínio, o novo propulsor de 3.0 litros tem seis cilindros dispostos em duas bancadas em V a 60°. Segundo o Grupo Chrysler, o off-road de quase 2.400kg tem aceleração de zero a 100km/h em apenas 8,2 segundos e velocidade máxima de 202km/h.

O Grand Cherokee diesel promete uma espantosa autonomia de 1.433 km - aproximadamente a distância entre o Rio de Janeiro e Campo Grande, a capital do Mato Grosso do Sul. Nas versões a gasolina, a autonomia fica em 1.135km. Para isso contribui a ótima média rodoviária prometida - 15,4 km/l - e também o gigantesco tanque de 93,1 litros. Na cidade, a Jeep fala em impressionantes 10,8km/l, com 13,3km/l de consumo combinado. Afinado com a cartilha "ecologicamente correta", o marketing da empresa ainda afirma que a emissão de CO² baixou 10% em relação ao modelo antigo: agora é de 198 gramas por quilômetro, em ciclo combinado cidade/estrada. Até um recurso Eco Mode, que prioriza sempre a marcha mais alta possível, foi introduzido na linha 2014 para reduzir o índice de consumo e de emissões. Ele é ativado automaticamente quando se liga o carro e pode ser desativado através de um botão no painel, quando se quer mais desempenho. No asfalto, para ter ainda mais diversão sem se preocupar com ecologia, basta acionar o modo Sport no botão Selec-Terrain.

A caixa de transferência Quadra-Trac II conta com 4x4 integral e reduzida. Já conhecida desde o modelo anterior, a tecnologia Selec-Terrain permite que o motorista adapte o sistema de tração integral de acordo com as condições do solo. Operada através de um botão giratório no console central, coordena eletronicamente as diferentes combinações do conjunto motor/transmissão, sistemas de frenagem, controle de aceleração, mudança de marchas, caixa de transferência, controle de tração e controle eletrônico de estabilidade.

O Grand Cherokee diesel desembarca no Brasil apenas na versão "top" Limited. No interior redesenhado, também está presente o novo sistema multimídia com GPS da Garmin e tela sensível ao toque de 8,4 polegadas, já apresentado em janeiro nas versões a gasolina. No console, destaca-se a nova alavanca do câmbio de oito marchas, revestida em couro - revestimento que se espalha pelo habitáculo, pontuado por detalhes cromados e em madeira. Tudo para justificar os vultosos R$ 239.900 pedidos pelo Grand Cherokee Limited diesel nas concessionárias - R$ 20 mil a mais que a Limited 3.6

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você acha que o subsídio do Governo vai alavancar a aviação regional?