Publicidade

13 de Fevereiro de 2014 - 07:00

Versão Cross carrega na estética aventureira, mas passa longe do papel de 'off-road'

Por MÁRCIO MAIO

Compartilhar
 
Carro é movido pelo motor 1.5 litro 16V Flex, que atinge 96,5cv e 13,9kgfm de torque a 3.100rpm com etanol
Carro é movido pelo motor 1.5 litro 16V Flex, que atinge 96,5cv e 13,9kgfm de torque a 3.100rpm com etanol

Diversas marcas apostam no nicho de compactos aventureiros. São automóveis pequenos e sem real habilidade "off-road", que recorrem à estética lameira para cativar o público que vive uma rotineira realidade urbana, mas adora se imaginar desbravando picadas e atoleiros. Esse aparente "descasamento" entre os atributos reais de um veículo e os aspectos emocionais que ele evoca forma o que os profissionais de marketing gostam de chamar de "aspiracional". Assim, aquilo que um carro realmente é pode importar menos que a percepção que ele transmite a quem o vê. Disposta a aumentar as vendas de sua linha compacta, a Toyota decidiu investir nesse segmento com o Etios Cross, lançado em novembro pela fabricante japonesa com a roupagem lameira incorporada.

A versão Cross tem como base a "top" XLS do hatch "convencional". Mas o exterior mais rústico do novo modelo até beneficiou o visual do Etios - que, por sinal, sofreu críticas na época do lançamento. A grade dianteira tem entrada de ar mais larga em função da abertura mais alta e seu para-choque é maior e robusto, na cor preto fosco, com protetores e em tom prata, também sem brilho, e mesma cor usada nas molduras que envolvem as luzes de neblina. Os apliques plásticos, na verdade, circundam todo o carro, dando um perfil mais bruto. As setas nessa versão migraram para os espelhos retrovisores, que mesclam o preto fosco com a cor da carroceria. Já o teto ganhou barras longitudinais na cor prata.

Outro aspecto criticado quando o Etios foi lançado foi o acabamento interno. Tanto que a própria fabricante descobriu que 45% dos possíveis compradores desistiam do negócio em função dessa questão. O dado observado em pesquisas fez a marca promover, já em 2013, uma mudança significativa no interior da linha 2014, que chegou ao mercado em setembro do ano passado. E o interior da versão Cross acompanha as características que marcaram essa transformação, com acabamentos em preto brilhante combinados com alguns detalhes em prata nas maçanetas, nos botões de comando do ar-condicionado e na manopla do câmbio. O painel continua centralizado e os bancos cinzentos ganham costura branca e bordado em alto revelo com o nome da versão nos encostos dianteiros. O som tem comandos no volante - que tem traço esportivo e acabamento em couro -, mas integra apenas rádio AM/FM, CD player e entrada USB, sem conexão via Bluetooth.

Sob o capô, o carro traz o mesmo motor utilizado nas versões sedã e de topo do Etios hatch. O 1.5 litro 16V Flex atinge 96,5cv e 13,9kgfm de torque a 3.100 rpm com etanol. Com preço que começa em R$ 46.790, há uma única opção de câmbio, manual de cinco marchas, comum a toda a linha. Uma combinação eficiente, mas que oferece menos potência que rivais com preços próximos. Por R$ 48.350 é possível levar para casa um Gol Rallye com câmbio manual e unidade de força 1.6 litro capaz de gerar 104 cavalos. Um pouco acima, a partir de R$ 49.325, fica o Hyundai HB20X, que também carrega um propulsor 1.6 litro, mas entrega 128cv. Quem prefere gastar menos pode optar pelo Renault Sandero Stepway, que tem versão com câmbio manual e motor 1.6 litro 8V de 106cv por R$ 44.790. Mas, independentemente da motorização, no mundinho de aparências dos "off-roads covers", o verdadeiro trunfo do Etios Cross está mesmo no emblema da Toyota que ostenta.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você concorda com a multa para o consumidor que desperdiçar água, conforme anunciou o Governo de São Paulo?