Publicidade

21 de Julho de 2011 - 07:00

A superesportiva Ferrari 458 Italia se mantém no campo dos sonhos

Por MARCELO COSENTINO - AUTO PRESS

Compartilhar
 
No Brasil, a Ferrari 458 Italia é vendida por R$ 1,5 milhão
No Brasil, a Ferrari 458 Italia é vendida por R$ 1,5 milhão

Carros fascinantes são atemporais. Em 2009, a Ferrari apresentou a 458 Italia no Salão de Frankfurt, em um evento que contou com a presença do heptacampeão mundial de Fórmula 1, Michael Schumacher. Na ocasião, o mais novo modelo da marca fez sucesso imediato com o público e crítica. Pouco menos de dois anos depois, ainda é notável como o esportivo italiano povoa o imaginário coletivo como uma máquina dos sonhos. No entanto, como todo sonho distante, poucos tiveram a oportunidade de pilotar esta máquina. Só para se ter uma ideia de sua exclusividade, a Ferrari 458 Italia é vendida no Brasil por estratosféricos R$ 1,5 milhão.

O preço é realmente "salgado", mas a 458 Italia é dotada de um impressionante arsenal tecnológico. O responsável por tirar o superesportivo da inércia é um novo motor central-traseiro V8 - uma tradição dentro da marca. Com 4.5 litros e injeção direta de combustível, o propulsor entrega nada menos que 570 cv de potência a 9 mil rpm e 55 kgfm de torque a 6 mil rpm. A potência específica, cv por litro, é de 127 cv/l, uma boa marca para um motor aspirado, sem turbo ou compressor volumétrico. Acoplado ao V8 está um câmbio sequencial de dupla embreagem, com sete marchas. Esta transmissão permite que as trocas de marchas sejam feitas em ínfimos 0,06 segundos.

A 458 Italia foi desenvolvida por uma equipe liderada pelo engenheiro Salvatore Ancoretti, vindo diretamente da escuderia de Fórmula 1 da Ferrari. Por isso mesmo, fica até difícil não esperar uma performance extraordinária. Com apenas 1.380 kg e relação peso/potência de apenas 2,42 kg/cv - com 58% deste total sobre o eixo traseiro -, esta Ferrari vai da inércia aos 100 km/h em 3,4 segundos. A velocidade máxima de 325 km/h, segundo dados oficiais, e digna dos carros da F1. Para frear a 100 km/h é preciso 32,5 metros até o carro parar completamente.

A obra-prima da Ferrari ainda conta com outras soluções importadas da F1. É o caso do habitáculo, que foi criado com o intuito de facilitar a tarefa do motorista, com todos os comandos e mostradores ao alcance dos olhos e mãos. Tudo para que o condutor possa estreitar ao máximo a sua relação com a máquina. O volante com diversos botões também não nega a inspiração na F1. A plataforma é feita em alumínio e a suspensão por duplos braços triangulares na dianteira e braços múltiplos na traseira faz jus à definição da Ferrari para a 458 Italia: "Nascida para os circuitos, construídas para a estrada".

O desenho futurista do superesportivo saiu das pranchetas do renomado estúdio Pininfarina, tradicional parceiro da marca. Tudo para se diferenciar de uma concorrência também feroz e milionária. Na mira do modelo estão nada menos que o Aventador LP 700/4 V12 de 700 cv e o Porsche 911 Turbo V6 3.8 de 500 cv. Coincidência ou não, os três bólidos cumprem o zero a 100 km/h nos mesmos 3,4 segundos. Fora isso, a 458 Italia ainda enfrenta uma disputa caseira com a Ferrari California, um conversível também equipado com o "motorzão" V8, porém com uma pegada menos esportiva. É uma escolha dos deuses.

Galeria de Imagens

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você é a favor da proibição de rodeios em JF, conforme prevê projeto em tramitação na Câmara?