Publicidade

01 de Janeiro de 2014 - 07:00

Por Nathália Carvalho

Compartilhar
 
Festa ainda teve a tradicional chuva de papel picado
Festa ainda teve a tradicional chuva de papel picado

O último adeus a 2013 foi em grande estilo em Juiz de Fora. Por volta das 11h, o som do samba já ecoava pelas ruas do Centro de Juiz de Fora. No coração da cidade, as comemorações para a chegada do Ano-novo começaram com um trio elétrico regado à muita música e festa. Ao meio-dia, a tradicional chuva de papel picado tomou conta do Calçadão, com direito ainda a fogos de artifício, abraços e felicitações das centenas de pessoas presentes.

No palco montado no cruzamento das ruas Halfeld com Batista de Oliveira, Márcio Gomes "Tinhorim" e Mestre Jansen na percussão, acompanhados de Fernando César no cavaquinho e Professor Cezar no violão de sete cordas, embalavam os clássicos do samba nacional. Debaixo de um sol de 28 graus, os juiz-foranos dançaram ao som das vozes de Roger Resende, Alessandra Crispin e Coração.

Já durante a noite, estava programado show pirotécnico repleto de efeitos especiais. Segundo a Prefeitura, haveria queima de uma tonelada de fogos de artifício com duração aproximada de dez minutos. Os pontos de queima foram na sede da Prefeitura de Juiz de Fora e outro no Morro do Cristo.

O prefeito Bruno Siqueira (PMDB), que esteve presente durante a festa na Calçadão, disse que 2014 será um ano de muito trabalho e de continuidade aos avanços já obtidos. "Tivemos uma recuperação financeira e, a partir de agora, daremos início às inaugurações de grandes obras. Desejo paz, felicidade e amor à população de Juiz de Fora." O superintendente da Funalfa, Toninho Dutra, que também estava na festa, espera que 2014 seja um ano de muita novidade na política municipal de cultura. "Queremos aumentar nossa capacidade de arrecadação para a cultura e um balanço positivo para o Carnaval antecipado que estamos preparando", deseja.

 

Desejos e despedidas

Em meio às celebrações, os juiz-foranos aproveitaram para registrar os votos para o ano que chega. Na maioria das vezes, os pedidos são de menos violência na cidade e mais compromisso com as causas sociais. Acompanhada do filho Natan, de 5 anos, a pedagoga Verônica Batista, 36, mostrou que tem samba no pé. Com um sorriso no rosto nas últimas horas de 2013, ela crê que o novo ano será de mais solidariedade e amor. "Somos privilegiados com essa cultura tão difundida. Agora, precisamos de menos violência e mais segurança", completa.

Com um chapéu improvisado em formato de coração, com os dizeres "Bem-vindo 2014, o futuro para o mundo", o garçom Amaury Arantes se emocionava com a festa de despedida. "Eu sinto que será o ano do futuro para o Brasil, é a nossa vez. De todo o coração, desejo que as pessoas pensem em como fazer uma vida melhor e olhem umas para as outras", diz. O engenheiro químico Paulo Mota, 50, veio de São José dos Campos (SP) para curtir a virada com a família em Juiz de Fora. "Estamos gostando muito da festa. Lá em São Paulo, não temos nada disso", diz, enquanto ensaiava passos de samba no embalo de "Tristeza pé no chão", do compositor da casa, Mamão.

"Precisamos de menos violência nos bairros, mais liberdade para podermos circular com nossos filhos", pede o comerciante Gabriel Andrade, 52. Já a assistente social Sandra Ferreira, 56, deseja que, em 2014, a Administração Municipal faça para a cidade o que foi prometido e invista no turismo local. "Estou em uma feliz despedida", comenta.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você acha que o Rio vai conseguir controlar a violência até a Copa do Mundo?