Publicidade

27 de Janeiro de 2014 - 21:40

Por Tribuna

Compartilhar
 
Celulares também foram apreendidos
Celulares também foram apreendidos

Diversos celulares, maconha, cocaína, crack e túneis foram descobertos por agentes dentro da Penitenciária Ariosvaldo Campos Pires, no Linhares. A apreensão dos materiais e a localização das passagens que serviriam para fuga foram registradas pela Polícia Militar em três ocorrências. A última delas aconteceu nesta segunda-feira (27), quando, por volta das 10h, durante busca de rotina, agentes encontraram oito celulares e uma bucha de maconha em uma cela. Na madrugada de domingo, segundo o boletim de ocorrência, após averiguação de uma tentativa de fuga, foi feita uma vistoria em todas as celas. No pavilhão dois, foi localizado um buraco na parede de uma delas. Dentro da abertura, foram encontrados 12 tabletes de maconha e uma bucha da mesma substância, quatro carregadores de celular e 11 chips.

Ainda segundo o boletim, três detentos ficavam no local, mas apenas um assumiu a posse dos materiais. No sábado, em duas celas do mesmo pavilhão, foram encontrados um bucha de maconha, quatro buchas de pasta de cocaína e um papelote da mesma substância, uma pedra de crack, quatro celulares, um cabo USB, um carregador, uma fonte e uma bateria recarregável. Além disso, os agentes apreenderam três serras e dois pedaços do mesmo instrumento, duas ferramentas artesanais feitas com brocas, duas brocas, uma lâmina, duas barras e uma ponteira de ferro. Na ação que culminou nessa apreensão, um detento foi flagrado tentando engolir uma porção de maconha, que foi vomitada logo em seguida. Um buraco na parede também foi localizado no interior da cela 16. Um detento assumiu ter feito a escavação.

Em nota, a Secretaria de Estado de Defesa Social (Seds) informou que todas as unidades prisionais do Estado, incluindo as de Juiz de Fora, passam por vistorias periódicas para evitar a presença de drogas e de materiais ilícitos. Além das vistorias, familiares e funcionários são submetidos a revistas antes do acesso à unidade. A Arisvaldo Campos Pires também dispõe de uma banqueta detectora de metais, voltada, principalmente, para identificar materiais ilícitos escondidos em partes íntimas do corpo. A Subsecretaria de Administração Prisional (Suapi) destaca ainda que os trabalhos realizados impediram uma tentativa de fuga de dois detentos que, com uma broca, faziam um buraco na cela que ocupavam. A direção geral da unidade prisional instaurou um procedimento interno para apurar as responsabilidades sobre o ocorrido.

 

 

 

 

 

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você acha que o Governo federal deve refinanciar as dívidas dos clubes de futebol?