Publicidade

02 de Janeiro de 2014 - 19:24

Por Tribuna

Compartilhar
 

O início de 2014 está sendo marcado pelas altas temperaturas. Na quarta-feira, primeiro dia do ano, o termômetro do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), instalado no Campus da UFJF, registrou o maior índice desde o início do verão, com 32,7 graus. Nesta quinta (2), no mesmo local, a máxima observada foi de 30 graus. No 1º de janeiro, outra condição climatológica foi evidenciada: uma forte chuva, com acumulado de 33,6 milímetros, conforme o instituto, no início da noite, acompanhada de descargas elétricas. Segundo o Sistema de Localização de Raios da Cemig, foram 62 raios registrados, sendo 70% deles entre 21h e 23h. Neste período, a Defesa Civil não realizou atendimentos. O pluviômetro do órgão, instalado no Bairro de Lourdes, Zona Sudeste, identificou acumulado de 42,8 milímetros.

De acordo com o técnico do setor de meteorologia da companhia elétrica, Geraldo Moreira da Paixão, as trovoadas são resultado do forte calor e a alta umidade, que provoca pancadas de chuvas localizadas no fim do período. "Até o fim do último mês, as chuvas eram causadas por uma zona de convergência, que está se enfraquecendo. Ela trazia muita nebulosidade para a região e, com isso, eram mais espalhadas, com poucos raios. O que ocorre agora são as chuvas convectivas", explicou, acrescentando que este tipo de precipitação é causado pelo movimento de massas de ar mais quentes, que sobem para a atmosfera e condensam.

Apesar destas tempestades, os próximos dias deverão ser mais secos. Segundo o 5º Distrito do Inmet, as frentes frias vindas do Sul não estão conseguindo alcançar o estado, ficando concentradas ate o litoral Sul do Estado do Rio de Janeiro. Deste modo, as chuvas, se ocorrerem, deverão ser de curta duração e em áreas isoladas pelos próximos cinco dias. Em Juiz de Fora, os termômetros tendem a oscilar entre 18 e 32 graus.

 

Dezembro chuvoso

O último mês do ano terminou com chuvas acima da média histórica. O acumulado entre os dias 1º e 31 chegou a 494 milímetros, valor 51% maior que os 327,1 milímetros esperados para o período. Em janeiro, a média histórica é de 299,8 milímetros. Ou seja, a tempestade de quarta-feira alcançou 11,2% da média.

A região também foi afetada pela instabilidade. Dos 60 municípios municípios mineiros que decretaram situação de emergência, três estão localizados próximos a Juiz de Fora. São os casos de Santos Dumont, Ubá e Mercês.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você concorda com a multa para o consumidor que desperdiçar água, conforme anunciou o Governo de São Paulo?