Publicidade

15 de Julho de 2014 - 08:20

Por Gabriela Gervason

Compartilhar
 

O corte de uma aroeira na Rua Tiradentes, no Bairro Santa Helena, e o plantio de três ipês-amarelos próximo ao local trazem à tona a questão da arborização em Juiz de Fora.

Segundo a engenheira florestal do Departamento de Educação Ambiental e Proteção dos Recursos Naturais da Secretaria de Meio Ambiente, Ana Maria Brandão, o corte de árvores em vias públicas acontece por fatores de risco ou obras. No caso da aroeira, moradores da Tiradentes, por meio de abaixo-assinado, solicitaram a retirada da planta. "Três espécies dessa árvore já tombaram nesse local. O solo é raso e tem muita rocha no entorno, essa espécie apresenta problemas nessas condições", esclarece a engenheira.

O plantio de novas árvores é feito pela Empav mediante a avaliação das áreas que receberão as plantas e das espécies adequadas para ela. Em contrapartida à supressão das aroeiras, três mudas de ipês-amarelos foram plantadas. De acordo com a secretaria, o ipê foi escolhido porque é uma árvore nativa da Mata Atlântica, vegetação original da região e se adapta bem na Zona Urbana, contribuindo, ainda, com a estética das ruas.

Além dos ipês, magnólias, alfeneiros, resedás, entre outras, são espécies utilizadas na cidade por possuírem porte e sistema radicular ideais para áreas mais movimentadas.

Arborização

Além de contribuírem para o embelezamento da cidade, as árvores proporcionam benefícios que, muitas vezes, passam despercebidos pela população. A arborização nas áreas urbanas proporciona a redução da temperatura, da poluição e, principalmente, dos ruídos. A presença das árvores reduz os níveis da poluição sonora, impedindo que os ruídos reflitam nas paredes das residências e causem sensação de som permanente.

Conforme dados apresentados pela Secretaria de Meio Ambiente, os bairros Santa Helena, Granbery e Bairu apresentam maiores índices de área verde da cidade. Já o quadrilátero central é o menos arborizado. A menor presença do verde se dá devido à existência de marquises, imóveis e fiações da rede elétrica. Além de tais condições, ainda segundo a pasta, frequentemente acontecem atos de vandalismo, como corte de galhos sem autorização, que causam danos aos troncos e podem provocar a morte da árvore. Danificar plantas em vias públicas é crime previsto na Lei de Crimes Ambientais (Lei Federal nº 9605/98). Em casos de poda, o serviço deve ser solicitado pelo telefone (32) 3690-7558.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você acha que campanha corpo-a-corpo ainda dá voto?