Publicidade

22 de Março de 2014 - 16:56

Por Tribuna

Compartilhar
 

A Polícia Militar recuperou, na madrugada de sábado (22), armas que haviam sido furtadas da casa de um major reformado da corporação, de 48 anos. Os materiais foram encontrados com dois irmãos, de 14 e 15 anos. O suspeito do crime, que aconteceu na tarde da última sexta-feira, no Bairro Jóquei Clube, Zona Norte, não foi localizado. Conforme o tenente da Rotam, Marcus Leandro Silva, que estava à frente da ação, militares receberam informação anônima de que os criminosos estariam com parte do material furtado em um bar, na Rua Marciano Pinto, no Sagrado Coração, Zona Sul. A PM se deslocou para o estabelecimento, por volta de 1h de sábado, e encontrou a dupla, que fugiu ao avistar a viatura.

Segundo o oficial, durante a fuga, eles dispensaram duas garruchas e 30 papelotes de cocaína embaixo de um carro, que estava estacionado. "Nós conseguimos capturá-los em seguida e recuperar os objetos e o entorpecente. A dupla foi apreendida." A mesma denúncia que levou a polícia até o bar dava conta que o restante dos materiais furtados estava em um apartamento, no residencial Araucárias, também no Sagrado Coração.

Em companhia da vítima, os militares foram para o local e realizaram varredura em alguns imóveis. No terraço de um dos prédios, os policiais encontraram um colete à prova de balas da PM, uma réplica de fuzil e um tênis, também de propriedade da vítima. "Foi franqueada nossa entrada no apartamento do suspeito de cometer o crime, onde localizamos um videogame, manetes, maços de cigarro, monitor de computador e uma lanterna. A vítima reconheceu os materiais como sendo dela", disse o policial.

Segundo o comandante da operação, outra garrucha furtada, joias e uma TV também foram levadas pela dupla. "Recebemos informação que este material já havia sido vendido." O suspeito da ação criminosa continua foragido. Os adolescentes foram encaminhados para a delegacia, onde foram ouvidos e liberados.

 

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você acha que campanha corpo-a-corpo ainda dá voto?