Publicidade

05 de Fevereiro de 2014 - 15:14

Por Tribuna

Compartilhar
 
Um dos veículos teve vidros quebrados
Um dos veículos teve vidros quebrados
Pontos de ônibus da Getúlio Vargas ficaram lotados
Pontos de ônibus da Getúlio Vargas ficaram lotados
Fila de ônibus se formou na pista central da Avenida Rio Branco
Fila de ônibus se formou na pista central da Avenida Rio Branco
Passageiros desceram dos coletivos parados na Avenida Rio Branco
Passageiros desceram dos coletivos parados na Avenida Rio Branco

Atualizada às 20h12

Uma batida entre dois ônibus, ocorrida por volta de 14h30 desta quarta-feira (5), travou o trânsito da área central da cidade e provocou um congestionamento de 2,5 quilômetros. O acidente ocorreu na Avenida Getúlio Vargas, próximo à esquina com a Avenida Itamar Franco. Um coletivo da linha 203 (Marumbi) teve o vidro e o para-choque dianteiros quebrados após bater na traseira de um ônibus da linha 546 (Mirante/BR-040). Pelo menos quatro passageiros reclamaram de dores e dois deles foram atendidos pelo Samu e encaminhados ao Hospital de Pronto Socorro (HPS). Devido aos danos mecânicos, o coletivo do Marumbi não pôde ser retirado imediatamente e ficou obstruindo a passagem dos demais veículos. Com isso, uma grande fila de ônibus se formou, e os reflexos podiam ser vistos no Bairro Manoel Honório, região Leste.

A fila de ônibus começou no local do acidente, seguiu pela Getúlio Vargas, passou pela Rua Afonso Pinto da Mota e atingiu a Avenida Rio Branco, até o cruzamento com a Avenida Brasil. O trânsito só começou a fluir depois das 17h, quando o ônibus danificado foi guinchado. Agentes da Settra estiveram no local, controlando o trânsito, que ficou lento e tumultuado, inclusive para os veículos normais e pedestres. Muitos passageiros resolveram sair dos coletivos e seguir o trajeto a pé. Alguns se arriscaram pela mureta de proteção da pista. Também houve lentidão na Itamar Franco.

Enquanto isso, nos pontos de ônibus, passageiros aguardaram pela condução durante horas. "Estou há mais de uma hora e meia esperando pelo meu ônibus. Até passou um aqui, mas estava lotado e nem abriram as portas", conta a empresária Greice Kelly da Fonseca, 35 anos, moradora do Bairro Santa Luzia, Zona Sul. A estudante Laura Gardenia, 26, estava há mais de uma hora no ponto e perdeu um compromisso. Ela questionou o trabalho de controle do trânsito. "Juiz de Fora não é uma cidade pequena para acontecer esse tipo de coisa. Como pode uma batida ocasionar esse caos? Isso é falta de organização", reclamou. "Os pontos estão lotados, e está impossível entrar nos ônibus", acrescentou a estudante Vanessa Santana, 18. Segundo motoristas de ônibus, os trajetos estavam atrasados em mais de uma hora. A situação foi normalizada no início da noite.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você acha que alertas em cardápios e panfletos de festas sobre os riscos de dirigir sob efeito de álcool contribuem para reduzir o consumo de bebidas por motoristas?