Publicidade

26 de Junho de 2014 - 06:00

Mulher voltava de culto evangélico, quando vários disparos foram feitos por motociclista

Por SANDRA ZANELLA

Compartilhar
 
Projétil atingiu de raspão dedo da vítima, que ainda teve escoriações no tórax
Projétil atingiu de raspão dedo da vítima, que ainda teve escoriações no tórax

Às vésperas de completar 38 anos, uma dona de casa foi salva por uma Bíblia que carregava junto ao peito ao ser alvejada por um tiro, na porta de casa, no Bairro Santo Antônio, Zona Sudeste. O caso inusitado aconteceu pouco depois das 21h30 de terça-feira, quando a mulher retornava de um culto evangélico, junto com sua irmã, 36. De acordo com informações da Polícia Militar, o atirador estava em uma motocicleta e teria disparado na direção de um jovem, 20, mas acabou acertando a mulher, que também estava na Rua Manoel Alves. Uma das balas atingiu de raspão o dedo indicador da mão esquerda da vítima e só não perfurou o tórax dela porque teria sido amortecida pelo livro sagrado. Além do ferimento, a dona de casa sofreu escoriações no peito.

"As mãos de Deus estavam ali. Deus parou todas as balas, mas uma teve que vir para mim para a glória ser na minha vida", disse a mulher à Tribuna, na manhã de ontem, quando ainda se recuperava do susto. "Foi essa Bíblia que sempre anda comigo que me salvou", afirmou, convicta, a seguidora da Assembleia de Deus. Socorrida por vizinhos, a dona de casa foi encaminhada ao Hospital de Pronto Socorro (HPS), sendo medicada e liberada. "Foram apenas quatro pontos no dedo", observou.

Religiosa desde pequena, a mulher, que preferiu ter sua identidade preservada, contou que tudo aconteceu bem ali, na porta da mesma residência onde vive desde que nasceu. "Eu estava chegando do culto da igreja e tenho o costume de carregar a Bíblia assim (junto ao peito) para abrir o portão. De repente, veio um homem de moto. Não sei quem era, não vi, só sei que foram vários disparos." Segundo ela, o rapaz que estava na via pública e seria o suposto alvo do atirador escapou ileso e ainda defendeu sua irmã. "Ele a jogou no chão, porque, se tivesse ficado em pé, os tiros iriam todos para ela."

Preocupada com a irmã caída com o joelho machucado, a dona de casa demorou a perceber que também estava ferida. "Na hora dos tiros, não consegui abrir o portão e senti que uma bala havia tirado o cachecol do meu pescoço. Quando abaixei para socorrer minha irmã, vi o sangue pingar. Só então percebi que havia sido atingida, mas não vi mais nada, porque fiquei em choque." Ao recobrar a consciência, a vítima já estava sendo amparada. "Logo chegaram meu pastor, amigos e vizinhos. Recebi muito apoio, só tenho a agradecer. Um policial falou que, conforme a bala me pegasse, poderia abrir uma cratera no meu peito."

A surpresa pelo fato de uma Bíblia ter salvo a mulher de um provável tiro no tórax parece ter sido uma reação comum entre as pessoas. "Quando cheguei ao HPS, os médicos olharam um para o outro. Eu perguntei o que era, e um deles afirmou: 'Você foi salva pela sua Bíblia'. Eu disse que fui salva primeiramente pelo meu Deus, ao qual eu sirvo." Um dos policiais militares que atenderam a ocorrência, sargento Rodrigo Motta, também afirmou ter sido surpreendido com o caso: "Com certeza, foi a Bíblia que ajudou o projétil a perder força. Já a encontramos no hospital, e estava lúcida, conversando", contou o policial do Tático Móvel da 135ª Companhia da PM.

Emocionada com o caso, a mãe da vítima, 63, desabafou: "Quando ouvi os quatro tiros, pensei até que pudessem estar soltando foguete no meu portão. A minha sorte foi que meus vizinhos me acudiram, porque eu e meu esposo já estávamos deitados e não tínhamos força para descer (as escadas)."

 

Investigação

Policiais militares que estiveram na cena do crime recolheram dois fragmentos de projétil, provavelmente calibre 38. O criminoso deixou o local após os disparos e, apesar do rastreamento, não foi encontrado. A ocorrência de tentativa de homicídio seguiu para investigação na 6ª Delegacia de Polícia Civil. Ontem o titular, Rodrigo Rolli, informou que já está intimando as vítimas a prestarem depoimento. O objetivo, segundo ele, é obter dados que ajudem a definir a autoria e motivação da tentativa de assassinato, que teria como alvo o jovem de 20 anos. "Queremos saber se há rixa de bairros ou disputa por drogas envolvida." O delegado também solicitou o exame de corpo de delito da mulher baleada.

Em seu aniversário, no próximo domingo, a dona de casa vai ter mais um motivo para comemorar a vida, ao lado de seu marido e o filho de 18 anos. "Já sabia que Deus cuida, mas vou ter ainda mais fé e esperança."

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você leva em consideração a escolaridade do candidato na hora de votar?