Publicidade

21 de Junho de 2014 - 17:55

Por Tribuna

Compartilhar
 
Evento de mobilização foi realizado no Parque Halfeld
Evento de mobilização foi realizado no Parque Halfeld

A Secretaria de Saúde (SS) realizou neste sábado (21) uma ação de mobilização em saúde para alertar sobre a cardiopatia congênita, que atinge uma em cada cem crianças nascidas vivas. O evento, que aconteceu no Parque Halfeld durante toda a manhã, com direito a recreação e lazer esportivo, teve o objetivo de chamar atenção para o problema causado por um defeito estrutural ou funcional do coração ocorrido durante o período gestacional. Segundo o secretário de Saúde, José Laerte, a detecção precoce dessa cardiopatia possibilita intervenções, na maioria das vezes, bem sucedidas. "Por isso, estamos participando dessa mobilização que também marca o Dia Municipal de Conscientização da Cardiopatia Congênita, comemorado em 12 de junho. Nós queremos despertar nas pessoas, principalmente nas mulheres, a necessidade de realizar um pré-natal bem feito para que o problema possa ser diagnosticado o mais cedo possível. Na maioria dos casos, o tratamento é cirúrgico", explicou o secretário.

José Laerte também destacou o fato de a cidade estar credenciada para cirurgia cardíaca pediátrica. Até março deste ano, o procedimento era feito em Belo Horizonte. Atualmente, a Maternidade Terezinha de Jesus é a referência no SUS para a realização da cirurgia. A chefe do ambulatório de cardiologia infantil do Departamento de Saúde da Criança e do Adolescente, Sarah Guedes, destacou que o diagnóstico tardio provoca complicações em muitos casos, podendo levar a óbito. A cardiologista pediátrica também lembrou que a obesidade infantil pode provocar hipertensão arterial, um dos riscos para a saúde da criança.

Além dos exames de prevenção da saúde cardiológica em meninos e meninas, como a aferição da pressão, os profissionais da área orientaram as mães para a necessidade de acompanhamento permanente. A supervisora escolar Fabiana Vilani, 36 anos, aderiu à mobilização. Ela levou o filho Luiz Felipe, 7, para realizar o exame no stand montado no Parque Halfeld. "Eu nunca tinha ouvido falar sobre cardiopatia congênita. Por isso, considero a iniciativa importante. A prevenção na medicina é tudo." Liliana Corrêa, 50, avó de Manuela Azevedo, 2, também aderiu à campanha. "Apesar dela já ter um bom acompanhamento médico, quando se trata de saúde tudo é válido", afirmou.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você já presenciou manifestações de intolerância religiosa?