Publicidade

03 de Abril de 2014 - 10:06

Defesa Civil registrou 26 ocorrências em 24 horas

Por Eduardo Valente

Compartilhar
 
Moradores da Rua Diva Garcia precisaram limpar a via coberta por barro
Moradores da Rua Diva Garcia precisaram limpar a via coberta por barro

Atualizada às 21h

A forte chuva que atingiu alguns bairros de Juiz de Fora na noite de quarta-feira (2) assustou moradores e causou prejuízos. Entre 18h daquele dia e 18h de quinta-feira (3), a Defesa Civil registrou 26 ocorrências, sendo a Zona Leste a mais afetada, com sete chamados. Em seguida aparecem as regiões Sudeste (6), Norte (5), Nordeste (4), Sul (3) e Centro (1). No Bairro Linhares, pelo menos seis casas ficaram alagadas após o Córrego do Yung transbordar e, em Dias Tavares, outras cinco residências precisaram de atendimento do órgão após as precipitações. Não há desalojados. Segundo o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), as pancadas de chuvas devem permanecer hoje. A mínima prevista é de 17,9 graus, e a máxima, 24,6 graus.

Conforme o Inmet, que mantém um pluviômetro no Campus da UFJF, o acumulado de chuvas foi de 37,6 milímetros entre 22h e 2h, o que corresponde a 35% dos 107,1 milímetros esperados para abril. No entanto, os equipamentos do Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (Cemaden), espalhados por toda a cidade, contabilizaram índices ainda maiores. Em Graminha, Zona Sul, por exemplo, choveu 87 milímetros, e em Floresta, Zona Sudeste, 69 milímetros.

A Tribuna esteve na tarde desta quinta na Rua Diva Garcia, em Linhares, e observou os transtornos causados com a forte chuva. Na casa do aposentado Mauro Nepomuceno, 71 anos, os móveis foram erguidos sobre cadeiras para evitar que as águas os atingissem. A marca na parede mostra que o alagamento chegou a uma altura de aproximadamente 70 centímetros. "Isso acontece há cerca de 30 anos, e está cada vez pior. O córrego não suporta a quantidade de água e acaba transbordando." Quem lamenta a situação é o também aposentado Nilson Santos, 61. Ele informou que os moradores às margens do córrego improvisaram uma contenção para que a parte calçada, em frente aos imóveis, não fosse danificada e pede providências do Poder Público.

Também na rua, um grupo de moradores e comerciantes limpava a via na tarde de ontem para conter o barro que despencou de um barranco, onde há um escadão. A comunidade disse que a Defesa Civil esteve no local, ainda pela manhã, tirando parte da terra para evitar novos deslizamentos, mas não retornou para fazer a limpeza. De acordo com a assessoria de comunicação do órgão, pela grande demanda causada pelas chuvas, a intervenção foi realizada apenas à tarde e, por isso, a limpeza do Demlurb foi programada apenas para esta sexta (4).

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você acha que o subsídio do Governo vai alavancar a aviação regional?