Publicidade

02 de Dezembro de 2013 - 22:01

Por Tribuna

Compartilhar
 

As fortes precipitações devem continuar a ocorrer nesta terça-feira (3) em Juiz de Fora, segundo o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet). Conforme o meteorologista Claudemir Azevedo, as chuvas são causadas pela atuação de frente fria, estacionada sobre o litoral Sudeste, associada ao forte calor. Nesta segunda, apesar do céu nublado, as temperaturas se mantiveram amenas, oscilando entre 18,5 e 24,6 graus. De acordo com o MG Tempo, da Cemig, são esperados mais 42,3 milímetros de chuvas para esta terça, quando os termômetros tendem a registrar mínima de 17 e máxima de 25 graus.

O subsecretário de Defesa Civil, Márcio Deotti, avaliou de forma positiva a atuação do Município em resposta às ocorrências. Segundo ele, o plano de contingência, montado há três meses, funcionou. "Sempre que necessário, as outras secretarias atuaram em apoio. Isso nos ajudou." Para ele, as próximas 48 horas ainda são de atenção, tendo em vista que as próximas chuvas devem vir em forma de pancadas, podendo causar erosões em encostas. Ele orienta que os moradores, quando identificarem riscos, devem acionar imediatamente a Defesa Civil, por meio do 199. "Não esperem acontecer o acidente, nos avisem antes", orientou.

Em nota, a assessoria de comunicação da Prefeitura informou que a Secretaria de Obras está priorizando as ocorrências relacionadas com barreiras e erosões. Até o fechamento desta edição, estavam em andamento duas intervenções de destaque: da Avenida Itamar Franco, e na Rua Omar Batista de Oliveira, no Milho Branco.

Além disso, equipes da secretaria atuam na recuperação de estradas vicinais, como as de acesso a Pirapetinga, Humaitá, Rosário de Minas, Varginha e Igrejinha. Já a Cesama trabalha na limpeza em pontes e leitos de córregos para evitar novos alagamentos.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você acha que o Rio vai conseguir controlar a violência até a Copa do Mundo?