Publicidade

02 de Abril de 2014 - 07:00

Violência ocorreu em praça, onde havia denúncia de consumo de bebida alcoólica e droga por adolescentes

Por Renata Brum

Compartilhar
 

Comissários da Vara da Infância e Juventude foram atacados com pedras e garrafadas na última semana, na praça do Bairro Alto dos Passos, na Zona Sul, por um grupo de adolescentes e jovens. Coordenador do Comissariado de Menores, Maurício Gonçalves Alvim confirmou o episódio, registrado na noite da última quinta-feira, mas informou que nenhum oficial ficou ferido. Já informações extraoficiais apontam que um deles sofreu ferimentos leves no braço e na mão esquerda.

"A equipe de plantão foi ao local realizar abordagens e verificar as denúncias sobre consumo de bebidas alcoólicas e drogas por adolescentes, sendo recebida de forma violenta. O que me foi passado é que jogaram pedras e garrafas contra os comissários, mas eles conseguiram se esquivar", informou o coordenador. "Eles fizeram contato com a Polícia Militar, mas não chegaram a registrar ocorrência. O ataque foi um fato isolado, assim como os que têm ocorrido contra os agentes da lei em várias partes do país."

A ocorrência envolvendo o Comissariado da Infância ganhou repercussão também nas redes sociais e entre os leitores da Tribuna. "Ao final muitas garrafas quebradas ficaram espalhadas pela praça e ruas próximas, um cenário de guerra urbana em plena Zona Sul de Juiz de Fora", relatou um leitor no e-mail enviado à redação. Na rede social, os comentários foram muitos. "Estive lá depois do acontecido, e é muita gente, tem que ter uma ostensiva maior, com uma estratégia de excelência. Vimos jovens armados. Infelizmente Juiz de Fora perdeu o controle."

Entre os comissários, a denúncia é de que a equipe reduzida dificulta as ações. "O pouco efetivo de comissários torna o serviço perigoso e arriscado para os que exercem uma função essencial para a sociedade. A PM foi acionada, mas só chegou 45 minutos depois, quando a confusão já havia terminado", contou um comissário.

O coordenador disse que, como é grande a presença de jovens e adolescentes naquela região, é preciso uma operação maior e planejada antecipadamente. Maurício informou ainda que não há data para a ação. A informação é de que a Polícia Militar dará apoio às ações do Comissariado.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você confia nas pesquisas eleitorais?