Publicidade

11 de Dezembro de 2013 - 07:00

Por Tribuna

Compartilhar
 
Papai Noel entregou presentes a 24 crianças e seis adolescentes na Ascomcer
Papai Noel entregou presentes a 24 crianças e seis adolescentes na Ascomcer

O projeto Papai Noel dos Correios fez, nesta terça-feira (10), a primeira entrega de presentes às crianças que escreveram para a campanha. Os funcionários do Hospital Ascomcer organizaram uma festa com direito a bolo, doces e sorvete para as 24 crianças e seis adolescentes celebrarem a data e receberem os presentes das mãos do Papai Noel.

Victor Hugo, 3 anos, estava ansioso para ver o que iria ganhar. "Ele espera o ano inteiro pelo Natal. Faz cinco meses que iniciou o tratamento contra leucemia. Então, a festa junto com as outras crianças é uma novidade para ele", conta Thaís de Oliveira Almeida, mãe do menino.

Esse é o terceiro ano que Francisco Antônio da Silva se veste como o Bom Velhinho. "Quando chego, a criançada fica um pouco receosa, e eu também, porque não sei como vai ser a reação delas. Mas depois é só felicidade." O grupo Médicos do Amor ajudou a alegrar a festa, e os integrantes brincaram com as crianças.

As próximas instituições a receberem as doações do projeto são a Escola Municipal Maria das Dores e a Apae, ambas com visitação na próxima sexta-feira. De acordo com a coordenadora da campanha, Maria do Carmo Lopes Maciel, todas as 7.200 cartas recebidas pelo projeto foram adotadas.

 

Outra campanha

A Mais Consultoria Júnior, empresa júnior da UFJF, e a Sociedade Estudantil de Engenharia de Produção (Seepro) promoveram nesta terça uma campanha de doação de sangue e brinquedos no Hemominas. "Fizemos a mobilização por meio das redes sociais e junto a outras empresas juniores. Aqueles que não podem doar sangue participam doando brinquedos e se cadastrando no banco de doadores de medula óssea", explica a representante da Seepro Isabella Ribeiro Zago.

Marcela Andrade, 19 anos, foi estimulada pela campanha dos universitários e resolveu doar sangue pela primeira vez. "Acho importante a atitude, porque ajuda a salvar vidas. Pretendo vir outras vezes." A assistente social do setor de captação de doadores Claudia Lanna enfatiza a importância do ato, principalmente nessa época do ano. "Nesse mês, os voluntários estão mais voltados para as festas de final de ano e deixam para doar depois. E precisamos garantir um maior número de bolsas, pois a demanda aumenta."

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você é a favor da proibição de rodeios em JF, conforme prevê projeto em tramitação na Câmara?