Publicidade

08 de Dezembro de 2012 - 07:00

Por Tribuna

Compartilhar
 

Dos 43 cursos superiores avaliados, em 2011, pelo Exame Nacional de Desempenho de Estudantes (Enade), em Juiz de Fora, cinco receberam conceito 2 (ruim). A nota mais baixa foi a do curso de educação física da Unipac, que teve conceito 1 (sofrível), o menor aplicado pelo Ministério da Educação (MEC), em uma escala que vai até 5 (excelente).

Em 2007, o mesmo curso obteve nota 3 (satisfatório) no exame. Para o procurador da Unipac, Danilo Esteves, a queda no desempenho aconteceu porque inicialmente a instituição se reportava ao Conselho Estadual de Educação. Já em 2008, a faculdade passou a obedecer aos critérios do MEC. "Esse processo de migração nos prejudicou. Além disso, a graduação em educação física foi extinta, e poucos alunos fizeram a prova. Estamos trabalhando para que isso não se repita em outros cursos."

Já a UFJF obteve os melhores conceitos - 4 (bom) e 5 - em 25 cursos. As notas máximas ficaram para as licenciaturas em química e ciências sociais e para engenharia de produção. O pior desempenho foi o do curso de licenciatura em educação física, que obteve conceito 2. "Os alunos fizeram a prova no transição da legislação, que fez a divisão entre bacharéis e licenciados em cursos diferentes. Isso acabou afetando o resultado. Mas, apesar de tantas mudanças e expansões nas graduações, a universidade se saiu bem. Basta pensar que as notas dos alunos concluintes da engenharia de produção foram as mais altas do Brasil", argumentou Vanderli Fava, secretário de Avaliação Institucional da UFJF.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você acha que campanha corpo-a-corpo ainda dá voto?