Publicidade

03 de Julho de 2014 - 06:00

Por Tribuna

Compartilhar
 

Nikollas Adams tem hoje 29 anos, trabalha com vendas, é músico e ainda voluntário em uma ONG que oferece acompanhamento psicológico e social a soropositivos. O rapaz é um dos participantes da primeira turma do projeto Curumim, que está completando 20 anos de atuação em Juiz de Fora. O programa, que teve início no Bairro São Benedito, na Zona Leste, foi fundamental para mudar a vida de Nikollas, afastando-o das ruas e, por consequência, das drogas. "Moro em um bairro em que o índice de tráfico e violência é expressivo. Manter o meu tempo focado em atividades culturais e esportivas foi primordial." Dos 9 aos 16 anos, Nikollas frequentou as atividades do projeto, que hoje atende 1.140 crianças e adolescentes de 5 a 14 anos pertencentes a famílias sujeitas a vulnerabilidades sociais. Em duas décadas, mais de dez mil pessoas já participaram de suas atividades.

Hoje o município tem oito unidades do Curumim. Além do São Benedito, ele está presente em Santa Luzia, São Pedro, Santa Maria, Vila Esperança, Vila Olavo Costa, Benfica e Santa Rita. Nele, as crianças e os adolescentes recebem acompanhamento em contraturno escolar e realizam atividades culturais e esportivas. O serviço é executado pela Amac, com gestão da Secretaria de Desenvolvimento Social.

Jhonatan Rodrigues, 22, participou do Curumim de Benfica, Zona Norte, dos 7 aos 12. Ele conta que, no início, ficou assustado com a novidade de desenvolver atividades fora do período escolar. Contudo, aos poucos, observou o quanto eram gratificantes as atividades em cada oficina. Ao sair do programa, Jhonatan deu continuidade às artes. Hoje ele possui formação como técnico de desenho mecânico e estuda design de moda.

O Curumim também auxiliou Marijke Conceição, 25, na escolha da sua profissão. Atualmente ela é gerente comercial de uma loja em Juiz de Fora e está concluindo o curso de educação física, por conta do incentivo ao esporte que recebeu no projeto durante nove anos. Marijke, que frequentou o Curumim de Santa Luzia, Zona Sul, e o do São Benedito, região Leste, relata que, por meio do programa, conheceu diversas modalidades esportivas. "Além da prática de atletismo, o Curumim me ajudou em tudo, na formação pessoal, no gosto pela cultura. Fazíamos passeios, viagens e ainda tínhamos um tempo para fazermos nossos deveres escolares, com apoio pedagógico."

 

Fortalecendo vínculos

A coordenadora executiva dos serviços de fortalecimento de vínculo por ciclo de vida da Amac, Lúcia Cristina de Oliveira, que realiza o acompanhamento das ações, conta que, por meio desse trabalho, é possível fazer com que os jovens desenvolvam atividades frequentes de segunda a sexta-feira. "O Curumim visa a uma boa construção de projeto de vida aos jovens, fortalecendo vínculos familiares e sociais, e ainda mostrar que eles têm direito de acesso a programas culturais, como museu e teatro. Nesta luta, precisamos estar juntos com a escola e com todos os equipamentos que atuam na formação da cidadania."

Para celebrar os 20 anos do programa, diversas apresentações serão realizadas hoje na unidade do Curumim de São Benedito, à Rua Noêmia Ezídia dos Santos 282. O local passou por revitalização nos últimos meses. A partir das 13h, haverá apresentações culturais dos Curumins, da Casa do Pequeno Artista e da Associação Atlética Banco do Brasil (AABB) Comunidade. Além disso, está prevista uma homenagem para todas as unidades do programa. O prefeito Bruno Siqueira (PMDB) vai participar das comemorações.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você está evitando contrair dívidas maiores em função da situação econômica do país?