Publicidade

03 de Dezembro de 2013 - 12:25

Pelo menos 21 pessoas foram presas em 17 cidades; há mandados de prisão para Juiz de Fora

Por Tribuna

Compartilhar
 

Uma quadrilha ligada à venda de vagas em cursos de medicina de faculdades de Minas Gerais e do Rio de Janeiro foi desarticulada, nessa manhã, pela Polícia Civil, durante a operação "Hemostase". Segundo a assessoria da corporação em Belo Horizonte, pelo menos 21 pessoas foram presas em 17 cidades mineiras e fluminenses. Ainda segundo a assessoria, há mandados de prisão para Juiz de Fora, mas o balanço final da operação e detalhamento de como funcionava o esquema só será divulgado às 13h30, em entrevista coletiva em Caratinga.

Conforme o órgão, a quadrilha movimentava milhões de reais com a comercialização de vagas em instituições particulares nos dois estados.

Cento e oitenta policiais civis mineiros estão espalhados pelas cidades dos dois estados, incluindo as duas capitais. Um helicóptero e 38 viaturas compõem o aparato policial. De Juiz de Fora foram deslocados dois delegados e pelo menos 20 policiais. As investigações foram iniciadas há oito meses pela Delegacia Regional de Caratinga, e a Justiça expediu 21 mandados de prisão e outros 32 de busca e apreensão.

A operação foi denominada "Hemostase" em referência ao conjunto de procedimentos cirúrgicos para estancar uma hemorragia. Segundo o superintendente de Investigações e Polícia Judiciária da PCMG, Jeferson Botelho, os presos na operação poderão responder por crimes como Associação Criminosa, Fraude de Certames de Interesse Público, Estelionato, Falsificação de Documentos Públicos e de Documentos Particulares, Falsidade Ideológica, Falsa Identidade e Lavagem de Dinheiro.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você concorda com o TJ, que definiu que táxi não pode ser repassado como herança?