Publicidade

16 de Junho de 2014 - 10:52

Por Tribuna

Compartilhar
 

Dois homens, 24 e 34 anos, foram alvos de tiros durante esse domingo (15), na Zona Sul de Juiz de Fora. O último caso foi registrado por volta de meio-dia, na Rua José Tavares, Bairro Jardim Gaúcho. A vítima de 24 anos contou aos policiais que caminhava pela via, quando foi abordada por dois ou três ocupantes de um Volkswagen Gol de cor vinho. Para se defender, o rapaz pulou o portão de uma das casas, e os suspeitos fugiram com o veículo em alta velocidade. O homem não soube dizer a motivação do crime e afirmou não conhecer os supostos autores. O baleado foi socorrido até a Santa Casa de Misericórdia, onde, conforme o documento policial, foi diagnosticada uma perfuração na altura do peito do lado esquerdo, ficando o projétil alojado. Ainda de acordo com o relato policial, a vítima permaneceu consciente, aguardando transferência para realizar intervenção cirúrgica.

Já durante a madrugada, por volta de 1h, o homem de 34 anos foi encontrado caído na Rua Marciano Pinto, no Santa Efigênia. Ele relatou aos PMs que estava conversando com um morador do bairro, quando três suspeitos encapuzados apareceram, e um deles com uma arma de fogo começou a atirar na direção do morador. Entretanto, um dos disparos acertou a vítima, que ainda teria corrido cerca de 200 metros antes de cair na via. O baleado contou também que viu o trio perseguir o outro homem e depois fugir em um Fiat Uno de cor verde. A vítima disse que a motivação do crime seria a rivalidade entre os bairros Sagrado Coração e Vila Verde, o que foi confirmado por sua irmã. Conforme o boletim de ocorrência, o homem foi socorrido pelo Samu e encaminhado para o Hospital de Pronto Socorro (HPS), onde foi constatada lesão por arma de fogo na região lombar. Ele teria permanecido internado na unidade.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você acha que os resultados do programa "Olho vivo" vão inibir crimes nos locais onde estão as câmeras?