Publicidade

03 de Maio de 2014 - 06:00

Por Tribuna

Compartilhar
 
Ford Focus ficou completamente destruído e se partiu
Ford Focus ficou completamente destruído e se partiu

Um acidente entre um carro e um caminhão, na BR-267, próximo à entrada de Sarandira, no km 61, deixou duas pessoas mortas nessa sexta-feira (2). Segundo informações preliminares do Corpo de Bombeiros, por volta das 13h, um Ford Focus, com placa do Rio de Janeiro, trafegava em direção a Bicas quando colidiu de frente com o caminhão Volvo VM 260, de Juiz de Fora, que seguia no sentido contrário e estava carregado com areia.

Com a força da batida, o carro ficou completamente destruído e se partiu. O caminhão saiu da pista, bateu em árvores e parou em uma área de baixada, e seu condutor teve ferimentos leves. Os Bombeiros localizaram os corpos de dois homens que estavam no Focus. Segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF), que também esteve no local, as vítimas tinham 26 e 65 anos de idade, mas os nomes não foram divulgados. De acordo com a PRF, a suspeita é de que o mais velho era quem dirigia o Focus. Logo após a batida, o Corpo de Bombeiros ainda fez diversas buscas nas imediações, já que, dentro do veículo, havia uma cadeirinha de bebê e uma bolsa de mulher, mas outros ocupantes não foram encontrados.

Carreta tomba

Já durante a manhã, por volta das 8h, uma carreta carregada com refrigerantes tombou, na altura do km 732 da BR-040, entre os municípios de Barbacena e Santos Dumont. A PRF informou que parte da carga caiu no acostamento e não comprometeu o tráfego. O motorista, que não teve a idade informada, sofreu ferimentos leves. A PRF também não informou a origem do veículo.

Apesar dos registros dos graves acidentes, o fluxo de carros nas rodovias da região ficou abaixo do normal nesta sexta-feira, depois do Dia do Trabalho. A expectativa é de que um movimento maior seja registrado nesse sábado, com a volta do feriado.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você confia nas pesquisas eleitorais?