Publicidade

22 de Junho de 2014 - 06:00

Por Tribuna

Compartilhar
 

Nos últimos quatro anos, o Brasil vem registrando aumento nos casos de coqueluche. Somente em 2014, Minas teve 110 confirmações e dois óbitos pela doença, que atinge principalmente crianças até os 6 meses. Em 2011, foram 82 confirmações e uma morte. Já no ano passado, o número de casos diagnosticados chegou a 464, com seis óbitos. Em Juiz de Fora, a situação é considerada sob controle. Conforme a Secretaria de Saúde local, apenas uma notificação foi registrada desde janeiro. Já no Brasil, há 1.762 casos de coqueluche informados neste ano. O número indica uma redução de 40% quando comparado ao mesmo período de 2013, quando 2.943 pessoas foram afetadas pela doença.

A vacina é a única forma de prevenir a moléstia, conforme explica a pediatra Mirna Salomão. "A coqueluche é altamente transmissível. Até 80% das pessoas que entram em contato com alguém que esteja com a doença são contaminadas." A vacina, a tríplice bacteriana, está incluída no calendário de vacinação das crianças (ver quadro). De acordo com a pediatra, o ideal seria que, dez anos após a última dose, a vacina seja reaplicada. No entanto, ela não é disponibilizada pelo SUS para essa faixa etária. "A Sociedade Brasileira de Pediatria já recomenda a vacinação para grávidas. Quando a gente imuniza a gestante, protege as crianças até os 6 meses," acrescenta Mirna.

 

Vacina

A assessoria da Secretária de Estado de Saúde informou, em nota, que a vacina contra coqueluche em adultos ainda não está disponível pelo SUS. A previsão do Ministério da Saúde é de que a dose seja oferecida em setembro para as grávidas, de forma gratuita e preferencialmente a partir da 27ª semana de gestação. A expectativa da pasta é de que três milhões de brasileiras sejam beneficiadas com a medida.

Já Mirna alerta que, no inverno, aumenta o contágio por doenças de caráter respiratório. Por isso, é preciso ficar atento aos sintomas da coqueluche e procurar o médico quando houver suspeita da doença. O tratamento é feito à base de antibióticos.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você já presenciou manifestações de intolerância religiosa?