Publicidade

14 de Maio de 2014 - 07:00

Por Tribuna

Compartilhar
 

Cinco estabelecimentos comerciais foram alvos de bandidos entre a noite da última segunda-feira e a tarde desta terça (13). Os casos aconteceram em várias regiões, entre elas o Centro e a Zona Sul, que recebem reforço do policiamento da operação "Polígono vermelho" desde 11 de abril. Além disso, uma tentativa de assalto a lotérica foi registrada na Rua Halfeld, no Centro, pouco depois das 19h. Três homens armados tentaram invadir o local, mas não teriam conseguido e fugiram. Já no Bairro São Mateus, na Zona Sul, o roubo foi a uma padaria na Rua São Mateus, onde uma funcionária teve uma arma de fogo apontada para o peito pelo criminoso. Segundo informações da Polícia Militar, por volta das 14h, um homem armado entrou no local e rendeu a funcionária, 48 anos, que trabalhava no caixa. Ele ordenou que a mulher entregasse todo o dinheiro e a ameaçou. A vítima não soube precisar a quantia levada. O suspeito fugiu em um táxi. Outro funcionário do estabelecimento conseguiu anotar a placa do veículo. A Polícia Militar foi acionada, e uma equipe da Rotam prendeu o suspeito de 21 anos. "Fizemos a abordagem na Avenida Rio Branco, próximo à entrada do Bairro Bom Pastor. Ele alegou que a arma utilizada no crime havia sido entregue a um comparsa. Com ele encontramos R$ 600," disse o tenente Ademir Corrêa. O suspeito foi reconhecido pelas vítimas.

Mais cedo, por volta das 12h30, uma joalheria, na Galeria General Roberto Neves, no Centro, foi furtada. Em três dias, esta é a segunda vez que o estabelecimento é alvo de criminosos. Na tarde desta terça, segundo o documento policial, um homem que se passou por cliente pediu para ver modelos de aliança. A funcionária, 34, pegou uma bandeja com as joias. Em seguida, o suspeito pegou as mercadorias e fugiu, não sendo encontrado.

Já na noite de segunda-feira, um bandido conseguiu fugir, levando R$ 32 mil de uma loja de informática no Bairro Santa Luzia, Zona Sul. Conforme o registro policial, o proprietário do estabelecimento foi ameaçado de morte com uma arma de fogo. O comerciante de 31 anos relatou à PM que, por volta das 20h30, encontrava-se no interior da loja, na Rua Porto das Flores, quando um homem desconhecido, usando blusa preta, entrou no local com um revólver em punho. O ladrão anunciou o roubo e exigiu que a vítima entregasse todo o dinheiro que possuía. O proprietário alegou que não tinha, e o ladrão colocou a arma em sua cabeça, dizendo que sabia que ele havia sacado R$ 32 mil mais cedo, em uma agência bancária no Bairro Cascatinha. O bandido afirmou que iria matar a vítima se ela não entregasse todo o dinheiro. O comerciante foi obrigado a passar toda a quantia retirada no banco. O criminoso fugiu, levando ainda o HD do computador, onde se encontrava a filmagem do circuito interno de segurança da loja, que teria gravado toda a ação criminosa. O proprietário da loja contou aos policiais que nunca tinha visto o autor do roubo e que não sabia como ele tinha conhecimento do saque que havia feito naquele dia, por volta das 15h. Foi realizado um rastreamento a fim de localizar o bandido, mas nenhum suspeito foi localizado.

Na mesma noite, mais de R$ 12 mil foram roubados durante assalto a uma academia de ginástica no Manoel Honório, Zona Leste. Duas vítimas, 27 e 28 anos, contaram que foram rendidas por um bandido armado, o qual entrou enquanto as mulheres se preparavam para fechar o estabelecimento, por volta das 22h. Conforme o boletim de ocorrência, o suspeito roubou o dinheiro, que estava dividido em uma pasta de plástico, um envelope e uma carteira, além de outros objetos. Depois ele teria embarcado na carona de uma moto com um comparsa que dava cobertura à ação. A PM realizou rastreamento, mas ninguém foi preso.

 

Hora do fechamento

Já no Ladeira, região Sudeste, por volta das 19h30, uma loja de vidro também foi assaltada. Conforme o boletim de ocorrência, o proprietário do estabelecimento, 42, relatou que, enquanto fechava a loja, um homem desconhecido aproximou-se e pediu para beber água. Ele recebeu a autorização para entrar e, logo em seguida, outro homem surgiu, com uma arma de fogo, anunciando o assalto. Além do dono, mais duas pessoas estavam no estabelecimento, uma delas era uma criança de 10 anos. Todos foram obrigados a ir para o fundo da loja e deitarem no chão. O homem que pediu água também sacou um revólver. A porta do estabelecimento foi fechada pela dupla. Um funcionário que já estava do lado de fora, ao perceber que as portas foram abaixadas, tentou erguê-las, e um dos bandidos tentou puxá-lo para dentro. Neste instante, segundo as vítimas, um dos ladrões começou a gritar, como que para avisar ao outro que tinham sido descobertos. Assim, eles fugiram sem nada levar. A PM foi acionada e realizou rastreamento pelas imediações, mas nenhum suspeito foi encontrado. O circuito de segurança do local gravou a ação dos bandidos, mas devido à má qualidade das imagens não foi possível identificar os suspeitos.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você é a favor da adoção de medidas, como tarifas diferenciadas e descontos, para estimular a redução do consumo de água?