Publicidade

13 de Maio de 2014 - 07:00

Por Tribuna

Compartilhar
 
Seminário foi aberto na noite desta segunda-feira
Seminário foi aberto na noite desta segunda-feira

O seminário "Políticas sobre álcool e outras drogas", que aborda formas de tratamento, redução de estigma e preconceito, acolhimento aos usuários de álcool e outras drogas, foi aberto na noite desta segunda-feira (12) em Juiz de Fora. O evento reuniu servidores da rede de assistência psicossocial, estudantes de psicologia e pessoas interessadas no tema. A realização da Secretaria de Saúde e outros departamentos ligados à área pretende abrir o diálogo entre os atores inseridos neste sistema, relatando quais os melhores métodos de acompanhamento aos pacientes e lidando com as frustrações, em casos sem sucesso e recaídas.

"Queremos promover o alinhamento de ideias entre os personagens que atuam na rede e os usuários, demonstrando os cuidados básicos e disponíveis tanto no tratamento como na prevenção. Por isso, optamos por uma linguagem informal para estimular este diálogo para ampliar ainda mais a discussão, abordando a rotina de cada um na tentativa de reduzir visões negativas sobre os usuários", explica a psicóloga Ana Cecília Villela Guilhon, presidente do Conselho Municipal de Políticas Sobre Drogas (Compid) e representante do Departamento de Saúde Mental, vinculado à Prefeitura.

O secretário de Saúde, José Laerte Barbosa, pontua que os problemas relacionados às drogas em Juiz de Fora não são diferentes de outros grandes centros. "É importante que o Poder Público não trate o problema apenas em um setor específico, como a saúde ou a assistência social, mas ampliando para outros departamentos." Para a integrante do Conselho Regional de Psicologia de Minas Gerais, Eriane Pimenta, o seminário irá contribuir para a identificação de outras formas de tratamento, sobretudo aquelas relacionadas à internação compulsória. "É preciso repensar e fortalecer a rede de assistência, sobretudo aquela que trata as internações como a única forma de tratamento. O usuário precisa manter o contato com a família e se sentir acolhido em unidades como as pertencentes ao Centro de Atenção Psicossocial Álcool e Drogas (Caps AD)."

A internação compulsória está entre os temas previstos para esta terça-feira, último dia de seminário. O evento é realizado no Higéia da Faculdade Estácio de Sá, no Bairro Cruzeiro do Sul.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você é a favor da adoção de medidas, como tarifas diferenciadas e descontos, para estimular a redução do consumo de água?