Publicidade

17 de Janeiro de 2014 - 12:36

Por Tribuna

Compartilhar
 

Atualizada às 20h

Uma mulher de 22 anos teria sido sequestrada e mantida em cárcere privado pelo ex-companheiro, 17, desde a noite de quinta-feira até a manhã desta sexta (17), quando a Polícia Militar foi acionada por uma tia da vítima, 51. Ela relatou aos policiais que a sobrinha havia mandado uma mensagem via celular pedindo socorro, porque estava sendo obrigada a permanecer na casa do adolescente, no Bairro Dom Bosco, na Cidade Alta, e havia sido forçada a manter relação sexual com ele. Os militares chegaram ao local em duas viaturas e foram atendidos pelo próprio suspeito, que alegou estar sozinho na residência. Quando os PMs entraram no imóvel, no entanto, encontraram a vítima. Na casa ainda foram apreendidas cinco pedras de crack e uma bucha de maconha. 

Conforme o boletim de ocorrência, a jovem contou que, por volta das 23h40 de quinta, estava andando pela Rua Dom Silvério, no Altos Passos, Zona Sul, quando foi abordada pelo ex-companheiro. Após desembarcar de um táxi, ele teria segurado a mulher pelo braço e a levado para um motel, dizendo que queria reatar o namoro. Diante da resistência da vítima, o adolescente seguiu com ela para uma casa no Bairro Nossa Senhora de Lourdes, região Sudeste, onde permaneceram até por volta das 3h. Depois disso, o rapaz levou a mulher em um táxi para a residência dele, no Dom Bosco, e conseguiu manter relação sexual com ela fazendo ameaças de morte, caso ela gritasse.

A vítima aproveitou o momento em que o suspeito dormiu para pedir socorro à tia. "No dia 31 de dezembro, ele invadiu a padaria em que ela trabalhava, no São Mateus, a agrediu e ameaçou jogar óleo fervendo. Depois disso, ela foi morar comigo. No período em que estavam juntos, ele não a deixava ter contato com ninguém, nem com a filha de 6 anos", revelou a tia, 51. Desta vez, a jovem afirmou à polícia não ter sido agredida, mas contou que o rapaz a importuna desde a agressão na padaria, quando terminaram. Conforme o relato dela, o relacionamento durou cerca de um ano. Consta ainda no registro policial que o suspeito teria dito aos militares que, caso não fique apreendido, vai tentar matar a ex-companheira. O adolescente foi encaminhado para a 1ª Delegacia Regional de Polícia Civil. De acordo com o delegado de plantão, Rogério Woyame, o rapaz já tinha outras três passagens pela polícia, sempre por envolvimento com a ex-companheira. Um dos casos seria de ameaça contra ela. O jovem foi apreendido e apresentado à Vara da Infância e Juventude. 

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você acha que o Governo federal deve refinanciar as dívidas dos clubes de futebol?