Publicidade

22 de Fevereiro de 2013 - 06:00

Além da estiagem e do aumento do consumo em 20%, situação é agravada por rompimento de rede

Por Nathália Carvalho

Compartilhar
 
Alessandra Martins, do Jóquei II, mostra que não há água nem para cozinhar
Alessandra Martins, do Jóquei II, mostra que não há água nem para cozinhar

O período de estiagem em Juiz de Fora chegou ao seu 15º dia nesta quinta-feira (21). Segundo a Cesama, a situação, aliada ao forte calor, provocou o aumento de 20% no consumo de água. O quadro foi agravado por causa do rompimento de uma rede de água que reforça o atendimento na Zona Norte e provocou a interrupção do funcionamento de uma das adutoras do sistema João Penido e, com isso, houve um desequilíbrio na distribuição da cidade. Os mananciais também estão com níveis abaixo do que apresentavam no mesmo período do ano passado.

Com isso, diversos bairros sofrem com a falta de abastecimento. No Jóquei Clube II, na Zona Norte, moradores afirmam que o problema, iniciado na última sexta-feira, persistia até a noite de ontem. Moradores dos bairros Marumbi, Bairu, Previdenciários e Jardim Gaúcho também estão prejudicados com a escassez do produto. "Já estamos há quatro dias nesta situação, e os funcionários da Cesama que estiveram aqui não souberam informar o que estava acontecendo", conta a estudante que reside no Bairu, Maria Helena Alves. 

No Jóquei Clube II, a comunidade está revoltada. "Na terça-feira, vimos carros-pipa abastecendo os prédios de condomínios próximos daqui, mas não estão trazendo para nós", afirma o vice-presidente da Associação de Moradores, Sebastião Santos. Para reverter o quadro, as pessoas têm buscado a água que vem direto da rua, pela torneira que alimenta os prédios. "Estamos carregando água em baldes, garrafas e canecas, mas ela está vindo imprópria para o uso, suja e com muito barro. Não tem como tomar banho, nem lavar louça e, para beber, estamos comprando água potável", conta a moradora Alessandra Martins. Ela e os vizinhos relataram que, além de terem pedido a presença do caminhão-pipa várias vezes sem sucesso, teriam sido informados que não havia previsão para o retorno do abastecimento.

Segundo informações da Cesama, estão sendo realizadas manobras para melhor distribuição da água. Além disso, o órgão explicou que foram disponibilizados cinco caminhões-pipa para atender as regiões mais afetadas e outros cinco estão sendo contratados. A assessoria não soube informar os pontos mais atingidos e disse, ainda, que os reparos na rede já foram concluídos. No Jardim Gaúcho, a assessoria esclareceu que um registro estava quebrado e foi trocado, sendo o fornecimento normalizado. A previsão é de que, até este sábado, a situação esteja regularizada. As orientações para os usuários é de que não desperdicem água durante o período e evitem os banhos prolongados e a lavagem de carros, pátios e calçadas.

 

Tempo

De acordo com o 5º Distrito do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), a situação de calor é provocada pela ausência de frentes frias na região, com a permanência de uma massa de ar seco e quente, que dificulta a formação de nuvens e chuvas. O efeito veranico, como é conhecido o longo período de estiagem, é considerado comum. Ontem a umidade relativa do ar chegou a 48%, e o índice tem se mantido ao longo da semana. A previsão para hoje é de oscilação entre 18 e 30 graus, com céu parcialmente nublado.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você acha que campanha corpo-a-corpo ainda dá voto?