Publicidade

21 de Maio de 2014 - 19:26

Por Tribuna

Compartilhar
 
Amigos e familiares queriam agradecer a Justiça pela celeridade em julgar o caso em cerca de 5 meses
Amigos e familiares queriam agradecer a Justiça pela celeridade em julgar o caso em cerca de 5 meses

"A vida do meu filho custou R$ 30", lastimou a dona de casa Cláudia Chagas, 60 anos, a respeito da morte de Leonardo Davy Chagas, 25. O rapaz foi vítima de latrocínio (roubo seguido de morte), em 20 de dezembro de 2013, quando saía de um bar em São Mateus, Zona Sul. O lamento da mãe foi feito na tarde desta quarta0feira (21), minutos antes do início da audiência de instrução e julgamento de dois jovens apontados como envolvidos na morte. Ele foi ferido no tórax com um objeto cortante. Os dois jovens, ambos de 24 anos, foram denunciados pelo Ministério Público como os praticantes do crime. No entanto, um deles foi absolvido. Antes do início da audiência, na 3ª Vara Criminal, familiares e amigos de Leonardo fizeram uma manifestação na porta do Fórum Benjamin Colucci. Trajados com camisas que traziam uma foto do rapaz assassinado, os participantes queriam agradecer a Justiça pela celeridade em julgar o caso em cerca de cinco meses.

"Espero que os culpados sejam condenados, para que eles fiquem longe da sociedade", afirmou a prima da vítima, Fernanda de Souza Chagas, 30. O irmão de Leonardo, Landerson Marcelo Chagas, 35, ressaltou a rapidez da Justiça e da Polícia Civil. "Tudo aconteceu bem rápido graças ao trabalho da Polícia Civil e da Justiça, e esperamos que o melhor seja feito nesse julgamento, que é retirar de circulação esse tipo de indivíduo, evitando que outras famílias passem pela mesma dor."

Conforme consta nos autos do inquérito policial, em 20 de dezembro do ano passado, por volta das 4h, na Rua Morais e Castro, no Bairro São Mateus, os denunciados subtraíram da vítima um celular, mediante violência com emprego de arma e concurso de duas pessoas, provocando a morte de Leonardo. Segundo a apuração, Jefferson William Martins da Silva aproximou-se da vítima, pedindo dinheiro, enquanto Leonardo falava ao celular em um ponto de táxi após sair de um bar. A vítima, tendo recusado o pedido, teve seu celular roubado, e deu um soco na boca do rapaz. Ambos, então, entraram em luta corporal, quando o assaltante desferiu uma facada próxima ao abdômen do jovem.

No fim da tarde desta quarta, saiu a sentença. Jefferson da Silva foi condenado a 22 anos em regime fechado pelo crime de latrocínio, já o outro rapaz que também havia sido denunciado pelo Ministério Público foi absolvido.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você é a favor de fechamento de pista em trecho da Avenida Rio Branco para ciclovia nos fins de semana?