Publicidade

23 de Maio de 2014 - 14:21

Por Tribuna

Compartilhar
 
Veículo parou em morro; trânsito ficou interrompido
Veículo parou em morro; trânsito ficou interrompido

Atualizada às 20h16

Mais um acidente grave foi registrado na região do Bandeirantes, Zona Nordeste da cidade. Na tarde desta sexta-feira (23), um Fiat Punto bateu em dois postes, derrubou as estruturas e capotou em seguida, na altura do número 2.503 da Avenida Juiz de Fora, quando seguia em direção ao Grama. Na sexta-feira da última semana, seis pessoas haviam se ferido após um ônibus colidir contra um poste, na Rua Paracatu, no mesmo bairro, em um ponto que fica a cerca de um quilômetro da ocorrência desta sexta. 

Conforme informações do Corpo de Bombeiros, no caso desta sexta, o motorista, que não teve a idade divulgada, trafegava no sentido ao Bairro Grama quando, possivelmente, perdeu o controle da direção e se chocou contra um poste, que foi derrubado. Outro poste, alguns metros à frente, também foi atingido e se partiu. Em seguida, o veículo capotou e foi parar às margens da pista. 

A vítima, que estava sozinha no carro, foi socorrida pelo Samu e levada para o Hospital de Pronto Socorro (HPS).  Segundo os Bombeiros, no momento do resgate, o homem estava consciente. Até o fechamento desta edição, ele era atendido no setor de tomografia da unidade médica. 

Por conta da ocorrência, o trânsito no local ficou totalmente interditado e foi desviado para outras ruas do Bandeirantes. Segundo a Settra, cinco agentes foram deslocados para a área para controlar o tráfego. Pontos de retenção se formaram na via. Até a noite desta sexta, a Cemig trabalhava na área para fazer a troca dos postes, mas a companhia não informou quantos clientes ficaram sem luz. A previsão era de restabelecimento da energia ainda nesta sexta. 

 

Mais segurança 

As vias onde ocorreram as batidas têm grande fluxo de veículos e dão acesso à rodovia MG-353 e a outros bairros da região. Moradores voltaram a pedir que a área receba radares e quebra-molas. Na ocorrência envolvendo o coletivo, residentes também chamaram a atenção para as condições de segurança do acesso. Segundo eles, motoristas costumam trafegar em alta velocidade. "Como se não bastasse a alta velocidade, temos aqui um tráfego pesado de caminhões, o que torna a via ainda mais perigosa", disse o aposentado Antônio Campos. Uma dona de casa, que preferiu não se identificar, disse que tem medo de residir no bairro. "Todas as vezes que escuto um barulho mais alto, acho que algum veículo caiu aqui. Precisamos de mais fiscalização." 

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você é a favor de fechamento de pista em trecho da Avenida Rio Branco para ciclovia nos fins de semana?