Publicidade

04 de Junho de 2014 - 18:22

Pedreiro estava desaparecido há uma semana; ontem, jovem confessou o crime

Por Michele Meireles

Compartilhar
 
Cadáver foi encontrado às margens da linha férrea
Cadáver foi encontrado às margens da linha férrea
Jovem de 22 anos foi preso e encaminhado à delegacia
Jovem de 22 anos foi preso e encaminhado à delegacia

Atualizada às 21h34

Um rapaz de 22 anos confessou ter matado o próprio pai e enterrado o corpo na frente da casa da família no Bairro Poço Rico, região Sudeste de Juiz de Fora. O crime foi descoberto por policiais militares da 135ª Companhia, na tarde desta quarta-feira (4), uma semana depois do desaparecimento do pedreiro Weber do Carmo Viana, 54 anos. O autor do homicídio disse aos policiais que enforcou o pai utilizando um fio e que, no momento em que colocou o corpo de cabeça para baixo em um buraco e cobriu com esterco, não tinha certeza se a vítima já estava morta. A namorada do rapaz, uma jovem de 26 anos, também foi presa por suspeita de ajudar a enterrar o corpo do sogro. O assassinato revoltou a população, que tentou agredir o jovem quando ele era conduzido até a viatura policial.  

Segundo informações da Polícia Militar,  no último dia 30 de maio, um boletim de ocorrência do desaparecimento de Weber foi feito por familiares, e vizinhos relataram que o próprio filho ajudou na divulgação de cartazes com a foto do pai. Após realizar levantamentos sobre o caso, os policiais desconfiaram da participação do jovem de 22 anos no desaparecimento. O rapaz já estaria vendendo pertences do pedreiro, o que fez aumentar as suspeitas sobre ele. Nesta quarta, o filho acabou confessando o crime, alegando que estaria com ciúmes da proximidade da namorada com o pai. 

O autor contou ainda que aplicou um golpe conhecido como mata-leão no pai e que, quando ele desmaiou, o enforcou com um fio. Os militares localizaram o corpo de Weber às margens da linha férrea, na Rua Duque de Caxias, em frente à casa onde a vítima morava com o filho. O Corpo de Bombeiros foi acionado para fazer a retirada do cadáver. A vítima estava dentro de um saco plástico, enterrada de cabeça para baixo e com um fio enrolado no pescoço. O filho e a namorada foram presos em flagrante por ocultação de cadáver. 

Uma irmã da vítima, de 36 anos, conversou com a reportagem sob a condição de ter o nome resguardado. Segundo ela, o próprio sobrinho foi quem avisou a ela e a outros familiares sobre o desaparecimento. "Na última sexta-feira, ele falou que, na quarta-feira, meu irmão tinha ido buscar lavagem para dar aos bichos e não voltou mais. Questionei a ele o fato de ele só ter nos avisado dois dias depois, mas meu sobrinho não soube explicar. Depois disso, ele ligava o dia inteiro, de madrugada, implorando para que achássemos o pai dele. E cada hora contava uma história."

Segundo ela, no último final de semana, familiares estiveram no imóvel e fizeram uma varredura no entorno. "Ontem (terça) meu sobrinho começou a falar que os vizinhos o estavam ameaçando, que estavam dizendo que ele matou o pai. Ele falou que ia vender a casa, daí, tive certeza que ele havia matado meu irmão. Os dois brigavam muito, meu irmão trabalhava para pagar as dívidas de drogas do filho. Já se mudou para salvar o filho de traficantes. Meu sobrinho é um bicho, um assassino frio e perigoso", desabafou, ressaltando que a vítima não tinha nenhum envolvimento amoroso com a namorada do sobrinho. Até o fechamento desta edição, o casal prestava depoimento na delegacia.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você é a favor de fechamento de pista em trecho da Avenida Rio Branco para ciclovia nos fins de semana?