Publicidade

28 de Fevereiro de 2014 - 18:20

Aproximação de frente fria coloca fim em estiagem, e mês de março deve ter precipitações dentro da média histórica

Por Eduardo Valente

Compartilhar
 
Até o momento, período chuvoso somou apenas 69% do esperado; nesta sexta, tempo começou a fechar
Até o momento, período chuvoso somou apenas 69% do esperado; nesta sexta, tempo começou a fechar

O fim de semana de carnaval deve ser marcado pela instabilidade no tempo em Juiz de Fora. De acordo com o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), a aproximação de uma frente fria sobre a região Sudeste do país deve deixar o tempo chuvoso, pelo menos até segunda-feira (3). A previsão da meteorologia da Cemig é que o volume de precipitações some até 32 milímetros neste sábado, com mais 48,8 milímetros no domingo. Segundo o meteorologista Claudemir de Azevedo, do 5º Distrito do Inmet, as chuvas deverão vir em formas de pancadas e acompanhadas de trovoadas. Já o céu deve permanecer fechado, com muitas nuvens, na maior parte do dia. Tal condição também deve resultar em queda na temperatura máxima, visto que no sábado a oscilação deve ficar entre 18 e 27 graus. Nesta sexta, a mínima registrada foi de 18,2 graus, com máxima de 30,5 graus.

O retorno das chuvas ao mesmo tempo em que se inicia o último mês da temporada de precipitações pode ser considerado um alívio. Isso porque, entre novembro e o início da noite desta sexta, o volume acumulado no município, de 851,9 milímetros, representava apenas 69% do esperado para o período, que são 1.233,6 milímetros. Conforme Claudemir, a tendência é que março tenha chuvas dentro do esperado, que são 198,3 milímetros, embora este quantitativo não seja suficiente para regular a média histórica de precipitações. "O problema é que em janeiro e fevereiro as chuvas ficaram muito aquém do esperado", argumentou. De fato, no segundo mês do ano, o acumulado foi de apenas 60,4 milímetros, o que representa 27% dos 217,4 milímetros previstos.

Para o diretor de Desenvolvimento e Expansão da Cesama, Marcelo Mello do Amaral, a ausência de chuvas significativas ainda não preocupa, embora seja importante que haja um volume considerável de precipitações em março e abril. "Se estes dois meses continuarem secos, podemos pensar em ações futuras, muito embora estejamos fazendo investimentos para minimizar os transtornos. Um deles é o início da operação da Represa de Chapéu D'Uvas, prevista para a partir de maio", informou. Ainda segundo o representante da Cesama, os mananciais de abastecimento do município estão em níveis considerados dentro da média. "Estamos armazenando o máximo de água, sem fazer descargas."

 

Calor acima da média

Além de seco, fevereiro também foi quente, com média da temperatura máxima em 30,7 graus, sendo que o esperado seria 28 graus. Na última quinta-feira, por exemplo, o patamar atingido foi de 32,1 graus, um dos maiores índices registrados este ano. Dos 28 dias do mês, 18 tiveram temperaturas superiores a 30 graus.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você acha que os resultados do programa "Olho vivo" vão inibir crimes nos locais onde estão as câmeras?