Publicidade

19 de Março de 2014 - 21:04

Por Tribuna

Compartilhar
 
Plantão na Central de Atendimento orienta estudantes
Plantão na Central de Atendimento orienta estudantes

Os alunos da UFJF estão sendo diretamente afetados pela greve dos servidores técnico-administrativos, iniciada na segunda-feira. Alguns setores estão fechados e outros funcionam em horários restritos, dificultando o acesso a documentos e serviços. O fechamento da Biblioteca Central e do Restaurante Universitário (RU), por exemplo, afeta a rotina diária dos usuários. "Não tenho condições de almoçar todo dia em restaurante ou na cantina. Assim, acabo não me alimentando corretamente", afirma a aluna do curso de bacharelado interdisciplinar de ciências exatas, Gabriela Alves, 24 anos.

O pai de uma aluna, que prefere ter a identidade preservada, conta que a filha precisa pegar o diploma. No entanto, a Coordenadoria de Assuntos e Registros Acadêmicos (Cdara), responsável pela entrega do mesmo, não está funcionando. Para conseguir o documento, a filha precisa de autorização do Comando de Greve. Outra estudante passa pelo mesmo problema. Também optando por não se identificar, ela conta que para solicitar o diploma de pós-graduação se dirigiu à sede do comando, onde não havia ninguém. "Senti meus direitos feridos."

O coordenador da Central de Atendimento, Hélder Dalamura, informa que permanece de plantão na entrada do prédio da Reitoria, no campus, das 8h às 18h, para orientar os alunos sobre como proceder em cada caso. Já os atendimentos telefônicos e eletrônicos estão suspensos. A estudante de turismo Jordânia Eugênio, 22, precisa do histórico assinado e foi à instituição obter informações. "Tenho que ir ao Comando de Greve para conseguir a autorização. Só depois, poderei pegar o histórico." Já Luiza Amaral, 21, do curso de engenharia de produção, conseguiu a autorização do comando para retirar seu histórico assinado.

O sindicato dos trabalhadores técnico-administrativos decidiu nesta quarta-feira (19), em assembleia, manter o movimento grevista. Os profissionais entendem que as propostas apresentadas pelo Ministério da Educação em documento encaminhado ao sindicato são insuficientes. A categoria pede progressão na carreira, conforme plano de cargos e salários da classe, isonomia em relação aos ganhos e benefícios dos técnicos de outros setores do serviço público federal e a fixação de uma data base, garantindo a correção anual dos vencimentos acima da inflação. Também estão na pauta, a melhoria na qualidade do trabalho e pagamento de benefícios para os aposentados. A próxima reunião acontece nesta sexta-feira, às 9h, no Hospital Universitário, unidade de Santa Catarina.

 

Professores

Os docentes da UFJF também pararam nesta quarta, mas retornam normalmente às atividades nesta quinta. Uma assembleia da categoria está marcada para o dia 27, às 9h, na sede da Associação dos Professores de Ensino Superior de Juiz de Fora (Apes), quando será discutida a possibilidade de greve.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você acha que o subsídio do Governo vai alavancar a aviação regional?