Publicidade

28 de Fevereiro de 2014 - 19:32

Por Tribuna

Compartilhar
 

Com o estoque 28% abaixo do ideal, o Hemominas de Juiz de Fora conseguiu um apoio especial para mobilizar doadores: o Rei Momo Ronaldo Simplício. "Nós comemoramos o carnaval, mas o gesto da doação é uma felicidade o ano inteiro. Que as pessoas possam procurar o hemocentro para fazer uma doação. Ganha quem recebe e quem pratica o gesto", defende Ronaldo, conhecido como Golfinho. Doador há 15 anos, ele perdeu o filho de 9 anos, vítima de leucemia há três anos, mas voltou a ser voluntário da instituição.

Para atender as demandas atuais, o Hemominas de Juiz de Fora precisa de 160 doadores por dia. No momento, a instituição recebe entre 120 e 130 colaboradores diariamente, o que reflete diretamente na queda do estoque. Segundo a assistente social Bruna Gomes Quintão, os meses de janeiro e fevereiro são os períodos mais fracos."As pessoas se mobilizam quando são chamadas, por isso queremos reforçar e pedir que a comunidade nos ajude e compareça ao hemocentro. Precisamos de doadores rotineiros, para que possamos atender a todas as pessoas que precisam."

O Hemominas (Rua Barão de Cataguases, s/n - Centro) fica fechado durante os dias de folia, e volta a funcionar na Quarta-feira de Cinzas, às 13h.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você acha que a realização de blitze seria a solução para fazer cumprir a lei que proíbe jogar lixo nas ruas?