Publicidade

31 de Maio de 2014 - 07:00

Por Tribuna

Compartilhar
 

A interrupção no fornecimento de energia elétrica, ocorrida na tarde da última quinta-feira (29) na cidade, deixou o Hospital de Pronto Socorro (HPS) desassistido. Segundo a subsecretária de Urgência e Emergência, Adriana Fagundes, o gerador não entrou no prazo, que é de seis segundos. "O leitor do aparelho não reconheceu a ausência de energia, acarretando na falha do mesmo. Acionamos a equipe de Pró-energia, que nos atendeu prontamente." Ela afirmou que não havia ninguém no centro cirúrgico e nem no elevador, não trazendo dano à saúde de pacientes ou funcionários.

O hospital ficou cerca de 40 minutos sem energia. Adriana explicou que as normas de segurança foram devidamente tomadas. "Os respiradores do CTI funcionam com energia. Mas neles existem baterias de urgência, que duram de quatro a seis horas, dependendo do equipamento. Mesmo assim, mantemos em todas as cabeceiras dos leitos um ressuscitador manual para caso acontecesse algum incidente." Ela ainda enfatizou que nenhum medicamento foi perdido e que, agora, a unidade conta com um gerador extra.

De acordo com a assessoria da Cemig, houve falha em um equipamento da rede denominado chave seccionadora. O aparelho que fica no Bairro Guaruá, Zona Sul, precisou ser trocado, o que acarretou na interrupção do fornecimento de energia elétrica. Os bairros afetados foram São Mateus, Alto dos Passos, Mundo Novo e Santa Cecília, na região Sul, e Aeroporto e Dom Bosco, na Cidade Alta, além do Centro.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você está evitando contrair dívidas maiores em função da situação econômica do país?