Publicidade

16 de Maio de 2014 - 11:06

Por Tribuna

Compartilhar
 
Delegado Rodrigo Rolli preside as investigações
Delegado Rodrigo Rolli preside as investigações

Atualizada às 17h11

O inquérito sobre a morte de Tatiana Bejani apontou que ela se suicidou e que a causa da morte foi asfixia. A conclusão das investigações foi apresentada, na manhã desta sexta-feira (16), pelo delegado da 6ª Delegacia de Polícia Civil, Rodrigo Rolli, que preside as investigações. "O laudo foi conclusivo no que diz respeito à ausência de sinais de arrombamento e de luta na casa. A única lesão constatada na vítima foi a provocada pelo enforcamento", afirmou Rolli, acrescentando que, por esta razão, foram descartadas a possibilidade de homicídio e de indução ao suicídio. 

Em relação ao conteúdo da carta deixada por Tatiana  e encontrada no local do óbito, o delegado informou que nela, a moça pede perdão por todos os erros que cometeu na vida e relata que estava muito deprimida em relação a esses erros. Ainda segundo o inquérito, o namorado de Tatiana, um taxista de 32 anos, relatou em seu depoimento que, nos dias anteriores a sua morte, a filha do ex-prefeito de Juiz de Fora, Alberto Bejani, andava muito triste  e chorosa. 

Também em relação a este caso, Rodrigo Rolli afirmou que vai abrir inquérito para apurar a responsabilidade da pessoa que fez imagens da vítima morta no local onde o corpo foi encontrado e espalhou a foto na internet. "Espanta a circulação de fotos de locais de crime nas redes sociais, o que faz necessário a apuração deste tipo de conduta, uma vez que isso invade a intimidade da vítima e de seus familiares". Rodrigo acrescentou ainda que já existe um suspeito e promover a divulgação das fotos, que já sendo investigado e que deve ser responsabilizado.  

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você acha que os resultados do programa "Olho vivo" vão inibir crimes nos locais onde estão as câmeras?