Publicidade

11 de Fevereiro de 2014 - 07:00

Medida poderá ser mantida até que chova na cidade. Inmet prevê precipitações no fim de semana

Por Nathália Carvalho

Compartilhar
 

Por, pelo menos, mais uma semana, os juiz-foranos terão que se submeter a um rodízio no abastecimento de água. A decisão, de caráter preventivo, foi tomada em virtude do calor excessivo e do longo período de estiagem, que já se prolonga por 17 dias na cidade, e poderá ser estendida até que chova. O mês de janeiro foi o mais quente e seco dos últimos 30 anos, e nesta segunda-feira (10), a temperatura máxima chegou aos 31,3 graus. Segundo a Cesama, a ação deverá ser mantida enquanto o quadro climático da cidade não for alterado. Para esta semana, foi adotada a mesma escala realizada no rodízio anterior, e a interrupção será feita por regiões, entre esta terça e sexta-feira, das 8h às 16h (ver quadro). Durante a ação, hospitais, unidades de saúde, escolas municipais e estaduais serão abastecidos com caminhões-pipa, de acordo com as demandas. O abastecimento será normalizado no fim de semana.

De acordo com o diretor-presidente da companhia, André Borges de Souza, a preocupação maior refere-se ao risco de não ocorrerem chuvas no mês de fevereiro. Ele garante, no entanto, que o sistema de abastecimento da cidade está equilibrado. "Continuamos analisando as previsões, e não vemos possibilidade de precipitação. Pelo contrário, meteorologistas apontam que o calor deve aumentar. Nossa medida é preventiva, para que não haja crise e tenhamos que tomar uma posição mais drástica no futuro. Vamos continuar com o rodízio enquanto a estiagem e o calor se mantiverem", explica. Ele acrescenta, ainda, que os mananciais da cidade ainda estão com níveis baixo em relação ao mesmo período do ano passado.

Sobre a primeira semana de rodízio, Borges garante que houve diminuição do consumo, que estava 20% acima do considerado normal. "Os reservatórios estão mais cheios hoje (segunda) na comparação com a última segunda-feira, mas ainda não conseguimos contabilizar a redução de consumo em números, pois dependemos da leitura dos hidrômetros residenciais. O mais importante é que a população compreendeu e atendeu à solicitação, e esperamos que essa atitude se mantenha. Lembrando que os bairros que não estão no rodízio também devem contribuir e fazer o uso racional da água." Ele garante que foram utilizados poucos caminhões-pipa durante a semana passada, não ultrapassando três atendimentos por dia. A maioria deles foi para escolas.

Esclarecimentos de dúvidas e solicitações à companhia podem ser feitos por meio do telefone 115 ou na agência de atendimento localizada na Avenida Getúlio Vargas 1.001, Centro.

 

Reserva pessoal

Segundo a Cesama, moradores que têm reservatórios não devem sentir o efeito do revezamento. Contudo, aqueles que não possuem uma caixa d'água grande devem sofrer com o rodízio. Por isso, a companhia recomenda que as pessoas tenham formas de reservar o líquido em casa. Conforme a assessoria do órgão, é interessante que o usuário guarde o suficiente para atender ao consumo por 24 horas. Isso significa, segundo as regras da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), que cada morador deve manter 180 litros, valor correspondente ao gasto pessoal durante um dia. Ou seja, uma família composta por cinco pessoas deve ter um reservatório de 900 litros.

 

Previsão

Embora o calor e a estiagem permaneçam ao longo dos próximos dias, já existe previsão de precipitações no fim de semana. Segundo informações do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), a massa de ar seco e quente que atinge a região Sudeste do país começa a apresentar sinais de enfraquecimento. Caso isso seja concretizado, as frentes frias conseguirão avançar sobre a região, causando nebulosidade e chuvas. Para esta terça, a previsão é de céu claro, com névoa seca ao amanhecer. Os termômetros tendem a oscilar entre 19 e 32 graus.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você é a favor da proibição de rodeios em JF, conforme prevê projeto em tramitação na Câmara?