Publicidade

11 de Fevereiro de 2014 - 07:00

Por Sandra Zanella

Compartilhar
 

Mais dois jovens foram assassinados a tiros e outras seis pessoas baleadas no fim de semana. No Bairro Bandeirantes, Zona Nordeste, Sandro Robson Macedo de Souza, 18 anos, foi executado à queima-roupa em via pública e na frente da própria mãe, na noite de domingo, por passageiros de um táxi. Já no Santo Antônio, Zona Sudeste, Cláudio Henrique Faria de Meireles, 22, foi alvejado por disparos, na cabeça e tórax, efetuados por ocupantes de uma moto. Somadas aos dois homicídios registrados entre a madrugada e a manhã de sábado, as recentes mortes aumentaram para quatro os assassinatos no município em menos de 48 horas.

O caso do Bandeirantes chocou pela frieza dos criminosos, que agiram na presença da mãe de Sandro e não desistiram da ação violenta mesmo diante do apelo da mulher. A costureira Maria Rita Macedo, 52, contou que eles voltavam a pé para casa pela Rua Sargento Cunha, quando foram surpreendidos pelos bandidos, que desembarcaram de um táxi. "Três vieram na nossa direção. Parei na frente do meu filho com os braços abertos, pedindo para não fazerem nada com ele. Vi um objeto brilhante nas mãos de um deles, mas pensei que fosse faca. O Sandro deve ter visto que era revólver e começou a correr. Eles acertaram um tiro nas costas, e ele caiu de bruços. Depois, chegaram perto e deram mais três tiros, à queima-roupa."

Obviamente abalada com a violência que acabou com a vida de seu filho caçula, Maria Rita contou não conseguir apagar aquela imagem. "Não posso fechar os olhos porque vejo ele estendido no chão. Ainda estava vivo, pedi ajuda aos carros que passavam, até que pararam para me ajudar. Mas disseram que não podiam tirá-lo dali e, quando o Samu chegou, já estava morto", lamentou. "Caí ajoelhada, e cobriram o rosto dele." Após o crime, o trio de bandidos embarcou no mesmo táxi e deixou o local. Em rastreamento, a Polícia Militar conseguiu localizar um adolescente suspeito, 17, morador do Eldorado, mesma região. Ele negou envolvimento no assassinato, mas foi encaminhado para a 1ª Delegacia Regional de Polícia Civil e apresentado à Vara da Infância e Juventude.

Segundo a costureira, o filho já sofria ameaças. "Parece que foi rixa de bairro. A gente temia que ele apanhasse, mas nunca pensamos que seria morto. Na minha época, não tinha isso. Hoje, é só revólver e faca." Ela contou que Sandro trabalhava em uma obra e completaria 19 anos nesta segunda-feira. "Ele havia comentado comigo que dali a poucas horas seria seu aniversário. Aí, no meio do caminho, aconteceu isso."

Homicídio no Santo Antônio

A morte de Cláudio Henrique também aconteceu no domingo, durante a madrugada. Conforme a PM, após denúncia, a vítima foi encontrada caída na Rua Augusto Viriato Campos, e o Samu constatou o óbito. A moto usada pelos atiradores teria deixado o local em alta velocidade. Peritos realizaram os levantamentos e constataram quatro perfurações na vítima, sendo três na cabeça e uma no tórax. Cláudio ainda apresentava fratura no tornozelo direito, que, conforme o registro policial, pode ter sido causada pela roda do veículo usado pelos bandidos.

Esse foi o segundo assassinato ocorrido no Santo Antônio no fim de semana. Na manhã de sábado, Douglas Mesquita de Oliveira, 20, foi localizado morto com um tiro na cabeça na Rua Manoel Alves. Já no início da madrugada de sábado, Luis Cláudio Campos Silva, 33, foi achado caído com ferimentos à bala - três nas costas, um no ombro e outro no abdômen- na Vila Esperança II, Zona Norte. Ninguém foi preso nesses três casos, que também estão sendo investigados pela Delegacia Especializada de Homicídios e Antidrogas.

23 mortes violentas

Embora as polícias Civil e Militar tentem conter o avanço da criminalidade, apesar do reduzido efetivo, a presença de armas nas ruas e a rivalidade de grupos continuam fazendo vítimas. Já são 22 óbitos ocasionados por crimes nos primeiros 40 dias do ano, e o número ainda pode chegar a 23 se for confirmada como homicídio a morte de Maico Santos Gonçalves, 26, atropelado supostamente de forma intencional, na madrugada do dia 25 de janeiro, na Avenida Brasil, na saída de uma casa noturna no Bairro Ladeira, Zona Leste. Ele faleceu após dez dias de internação. A violência que atemoriza os juiz-foranos levou a sociedade civil organizada a se unir ao prefeito, Bruno Siqueira (PMDB), para pedir ao Governo de Minas ações imediatas e efetivas, por meio de uma carta entregue no último sábado ao governador Antonio Anastasia (PSDB).


Bando atira contra bar e deixa dois feridos

O fim de semana violento também teve tentativas de homicídio a tiros, que deixaram mais seis pessoas feridas, além do jovem, 19 anos, baleado na madrugada de sábado na Olavo Costa, Zona Sudeste. Um dos casos mais graves aconteceu no Bairro São Judas Tadeu, Zona Norte, onde cinco pessoas abriram fogo contra um bar na Rua Monsenhor Francisco de Paula Salgado. O crime aconteceu por volta das 19h30 de sábado, deixando dois homens feridos, um deles, 40, em estado grave. Segundo a assessoria da Secretaria de Saúde, o paciente teve ferimento na região glútea e sofreu perfuração no intestino. Ele permaneceu internado no CTI do HPS, sedado e entubado. Já a outra vítima, 34, foi atingida no pé e medicada na UPA Norte. Os atiradores fugiram em bicicletas e não foram localizados. Conforme a PM, a suspeita é de que seriam jovens moradores do Santa Cruz, na mesma região.

Disparos na noite de domingo no Bonfim, Zona Leste, também fizeram duas vítimas. Quando a PM chegou à Rua Otávio Pereira Torres, elas já haviam sido socorridas por populares e levadas para o HPS. Conforme a Secretaria de Saúde, um jovem, 18, teve fratura de fêmur, além de perfuração no braço, passou por cirurgia e permaneceu internado, lúcido e estável. Outro rapaz, 22, alvejado no tórax, ficou em observação. De acordo com a PM, um dos jovens voltava de um baile funk e parou para conversar com o outro, quando surgiram dois motociclistas que atiraram na direção deles. Ninguém foi preso.

Outras duas ocorrências envolvendo baleados também aconteceram domingo na região Leste. À noite, um rapaz, 22, foi alvejado no ombro quando estava sentado perto de casa na José de Castro Ribeiro, no Três Moinhos. A vítima disse à PM ter visto passar uma moto e ouvido o disparo, sentindo em seguida uma queimação. Segundo a Secretaria de Saúde, o paciente teve fratura exposta no ombro esquerdo, passou por cirurgia, mas estava lúcido e orientado. Já no final da tarde, um jovem, 18, foi baleado por dois ocupantes de um Fox preto, que desembarcaram e o perseguiram por um beco perto da Rua Fausto Machado, no São Sebastião. Atingida nas costas, a vítima foi socorrida por familiares até o HPS, onde permaneceu na sala de urgência com fratura na região torácica. De acordo com a assessoria, o paciente foi submetido a procedimento cirúrgico e ficou sedado, em estado regular e inalterado. Um projétil de pistola calibre 380 foi recolhido no local do crime.

Também continuou internado na sala de urgência do HPS nesta segunda o rapaz, 19, alvejado sábado no abdômen, na Olavo Costa. Apesar de estar lúcido, o estado dele inspira cuidados, conforme a Secretaria de Saúde.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você concorda com o TJ, que definiu que táxi não pode ser repassado como herança?