Publicidade

26 de Fevereiro de 2014 - 06:00

Em apenas uma semana, foram retirados dez metros cúbicos de entulho em um trecho de dois quilômetros

Por Kelly Diniz

Compartilhar
 
MRS gastou R$ 300 mil com limpeza no ano passado
MRS gastou R$ 300 mil com limpeza no ano passado

Além de ser um problema de saúde pública, a grande quantidade de lixo depositada no entorno da linha férrea pode ameaçar a segurança de toda a comunidade, já que, segundo a MRS, concessionária que administra a malha ferroviária na cidade, qualquer detrito lançado na ferrovia pode atrapalhar a frenagem de uma composição. São papéis, plásticos, garrafas, vidros, madeira e diversos tipos de material descartados diariamente na linha, principalmente próximo às passagens de nível. A assessoria da MRS relatou que faz a limpeza quinzenalmente, mas o problema é recorrente. No último dia 8, por exemplo, a empresa limpou todo o trecho que vai da Rua da Bahia, no Poço Rico, região Sudeste, ao Mergulhão da Avenida Rio Branco, região central. Sete dias depois, novos descartes clandestinos foram encontrados.

"Empreendemos um esforço para a retirada dos resíduos descartados irregularmente. O resultado naquela data foi gratificante, entretanto, uma semana depois, tivemos a reincidência de descarte de dez metros cúbicos de entulho, o equivalente a dois caminhões basculantes de material, tudo isso no mesmo local onde foi feita a limpeza. A tela (de proteção) que recuperamos no dia da manutenção também foi danificada", lamenta o coordenador de infraestrutura da malha, Paulo Sérgio Pereira.

Para a limpeza do trecho de dois quilômetros, a concessionária investiu cerca de R$ 15 mil para recolher 75 metros cúbicos de lixo, o equivalente a 15 caçambas. Segundo informações da assessoria da MRS, no ano passado, a empresa gastou aproximadamente R$ 300 mil com limpeza.

A passagem de nível com maior concentração de lixo é a da Rua Benjamin Constant, no Centro. Coincidentemente, no local foram registrados 44% dos acidentes ocorridos na linha férrea em 2013. Ao todo, foram 14 atropelamentos e dois abalroamentos. Em seguida, está a passagem de nível de Benfica, com 13% dos casos.

Conforme a chefe do Departamento de Fiscalização da Secretaria de Atividades Urbanas (SAU), Graciela Vergara Marques, colocar o lixo doméstico em locais inapropriados é tipificado no Código de Posturas como infração leve, podendo o transgressor ser punido com advertência e, caso haja reincidência, com multa de R$ 290,48.

Galeria de Imagens

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você escolhe seu candidato através de: