Publicidade

11 de Abril de 2014 - 14:03

Regiões escolhidas concentram maior fluxo de pessoas e áreas comerciais

Por Marcos Araújo

Compartilhar
 
PM reforçará patrulhamento a pé nas principais vias
PM reforçará patrulhamento a pé nas principais vias

Atualizada às 20h05

As ruas da área central e da Zona Sul de Juiz de Fora estão recebendo intensificação do policiamento desde esta sexta-feira (11). Foram disponibilizados mais 200 policiais militares e 20 viaturas, com o objetivo de reduzir os números de crimes contra o patrimônio, como furtos e assaltos, e aumentar a sensação de segurança da população. O aumento do patrulhamento foi denominado operação "Polígono vermelho", que teve seu lançamento ao meio-dia, na Praça do Riachuelo, no Centro, e contou com a presença do secretário de Estado de Defesa Social, Rômulo Ferraz, do comandante-geral da Polícia Militar de Minas Gerais, Márcio Martins Sant'ana, e do prefeito Bruno Siqueira (PMDB). Na ocasião, Rômulo Ferraz divulgou, durante entrevista à imprensa, que as primeiras 34 câmeras do programa "Olho vivo" devem ser instaladas na cidade na primeira quinzena de junho. 

A "Polígono vermelho" tem caráter permanente e deslocou militares restritos a atividades administrativas para as ruas. Eles vão trabalhar com o efetivo da 4ª Companhia de Missões Especiais, inclusive da cavalaria e do grupamento de cães da PM. De acordo com o comandante da 4ª Região de Polícia Militar (4ªRPM), coronel José Geraldo de Lima, a região central e a Zona Sul foram escolhidas para o início da ação, porque concentram um maior fluxo de circulação de pessoas e de áreas comerciais. "A iniciativa visa a trazer maior tranquilidade para a população. O último mês de março apresentou uma redução de 38% dos crimes de homicídio se comparado com março de 2013. Se a comparação for feita entre março e fevereiro desse ano, a redução foi 50%. Apesar desse quadro favorável, estamos realocando militares, que estavam atuando na parte administrativa, para garantir uma maior sensação de segurança da população", ressaltou o coronel, lembrando que a operação ainda será estendida para as outras regiões do município. 

Em fevereiro, a Tribuna, por meio de levantamento próprio, mostrou que, a cada 36 horas, em média, um assalto a pedestre foi registrado nas ruas da cidade de 1º janeiro de 2013 a 31 de janeiro de 2014. Ao todo, foram 260 casos de assaltos a transeuntes, somando um total de 292 vítimas, uma vez que houve ocorrências com mais de uma pessoa na mira do ladrão. A região central concentrou 35,38% dos assaltos contra transeuntes, com 92 casos registrados. O Parque Halfeld, as avenidas Rio Branco, Getúlio Vargas e Andradas, as ruas Benjamin Constant, José Calil Ahouagi, além do trecho que compreende o Mergulhão, são os que mais aparecem nos boletins de ocorrência. 

Ainda segundo o comandante da 4ªRPM, a operação "será adaptada de acordo com a necessidade e dentro da possibilidade, já que se trata de um ano atípico, com Copa do Mundo e eleições. Teremos todas as modalidades de policiamento distribuídas nas ruas e nas portas de escolas, além de ocupação de praças e ações de prevenção contra crimes a estabelecimentos comerciais e a transeuntes. 

O comandante-geral da PM, coronel Márcio Martins Sant'ana, mostrou-se preocupado com o quadro de assassinatos na cidade. "O homicídio é uma modalidade preocupante, prioritária, porque o bem que é subtraído, é irreversível, pois a vida não tem como ser trazida de volta. Então a PM está imbuída de atuar na prevenção, de fazer que a convivência das pessoas seja de respeito e harmônica. Quanto àqueles que não se adaptam a uma vida civilizada, de direito e deveres, a PM, cirurgicamente, deve retirá-los de nossa convivência e retirar também os instrumentos que possivelmente seriam utilizados para ferir as pessoas", ressaltou, completando: "Com essa operação, a PM se determina a estar próxima do cidadão e ter uma atuação preventiva, para que a incidência criminal não apresente transtorno para JF, que, historicamente, é acostumada a uma qualidade de vida de excelência. A durabilidade da operação é longa e vai estar sujeita a avaliações e reavaliações, para que as estratégias sejam as mais adequadas." Até esta sexta, conforme levantamento da Tribuna, 54 mortes violentas haviam sido registradas na cidade, desde o início do ano.  Só na Zona Norte, região que ainda não foi contemplada com a intensificação do policiamento, 17 casos foram contabilizados. Em 2013, segundo levantamento do Mapa da Violência divulgado na última segunda-feira, foram registrados, na Zona Norte, 43 homicídios. O comando da 4ª RPM garante que a região será contemplada com a operação após avaliação dos primeiros resultados.

 

 

Aposta em projetos para reduzir crimes

 

O secretário de estado de Defesa Social, Rômulo Ferraz, na ocasião do lançamento da operação "Polígono vermelho", anunciou, durante entrevista à imprensa, que as 34 câmeras de videomonitoramento do programa "Olho vivo" serão instaladas na cidade na primeira quinzena do próximo mês de junho. Ele afirmou que a iniciativa é uma importante ferramenta na luta contra a criminalidade e que, nas cidades onde foi implantada, resultou na redução dos crimes em cerca de 30% a 40%. Ele ainda adiantou que, no máximo até o final de junho, o total de 54 câmeras vai estar implantada em pontos estratégicos. "O projeto está em finalização, faltando a parte do cabeamento feito pela Cemig e com a Prefeitura. Além dele, também vamos implantar dois novos núcleos do "Ambiente de paz" nos bairros São Benedito, Zona Leste, e na Vila Olavo Costa, Zona Sudeste. Além da construção do Posto de Perícia Integrada da Polícia Civil. Também vamos forçar a integração das polícias Militar e Civil para operações qualificadas, atacando a atuação de adolescentes, que contribui de forma negativa para os índices, e contra o tráfico de drogas. Nas fronteiras, o trabalho de inteligência atua para evitar que indivíduos integrantes de organizações criminosas do Rio e São Paulo entrem na Zona da Mata, por meio monitoramento." 

 

Meio Ambiente e trânsito

A 4ª Companhia de Polícia Militar de Meio Ambiente e Trânsito, durante a "Polígono vermelho", está fiscalizando o comércio do setor agropecuário, verificando a validade dos produtos agrícolas, as notas fiscais na venda dos peixes e se os itens estão de acordo com o que propõe a legislação ambiental. A ação vai continuar, a cada semana, focando um tipo de comércio que precise de alguma fiscalização ambiental, como postos de combustível e açougues. A companhia também está realizando a operação "Rodovia segura, preservando vidas", na qual policiais vão visitar autoescolas para ministrar orientação aos futuros condutores sobre a direção segura nas rodovias.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você acha que campanha corpo-a-corpo ainda dá voto?