Publicidade

07 de Dezembro de 2013 - 18:23

Por Tribuna

Compartilhar
 
Manifestantes prometem voltar para rua na segunda
Manifestantes prometem voltar para rua na segunda

Moradores do Jóquei Clube II, na Zona Norte, voltaram a protestar, na manhã deste sábado (7), contra a construção de uma passarela sobre a linha férrea na Avenida Antônio Weitzel, que liga o bairro à Avenida Juscelino Kubitschek. Munidos de faixas e cartazes, por volta das 10h50, cerca de 15 moradores fecharam a JK. Eles se concentravam por alguns minutos em um dos sentidos da via, liberavam o trânsito, e seguiam para o outro lado da pista. A Polícia Militar acompanhou o protesto, que acabou às 11h30. A reação aconteceu depois que a MRS, empresa responsável pela construção da passarela, começou a construir um muro às margens da via, o que impedirá que a travessia seja feita fora da estrutura construída. Com isso, quando a intervenção estiver concluída, os moradores serão obrigados a utilizar a passarela.

Eles reclamam da altura da estrutura e pedem que a mesma seja revista. Na avaliação deles, pessoas com deficiência, fobia de altura, grávidas e idosos não têm condições de atravessar pelo local. Os residentes prometem voltar a fechar a Avenida JK nessa segunda-feira, no final da tarde caso a MRS não entre em contato com eles agendando uma reunião. Este é o segundo protesto no local pelo mesmo motivo.

A outra manifestação aconteceu na última terça-feira, dia 3, quando cerca de 150 moradores do Jóquei II participaram. Na ocasião, a reclamação era de que, além de a estrutura ser alta, também havia o temor pela insegurança na área, principalmente a ocorrência de assaltos. Ainda naquela data, a assessoria da MRS havia informado que a vedagem de passagens em nível é necessária para proteger os moradores e a área da ferrovia. Em nota, a empresa informou que a passarela foi construída seguindo todos os critérios e normas de acessibilidade, justamente para oferecer segurança à comunidade. A MRS também havia explicado que a passarela possui iluminação conforme padrões da Prefeitura.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você concorda com o TJ, que definiu que táxi não pode ser repassado como herança?