Publicidade

20 de Dezembro de 2013 - 12:14

Por Tribuna

Compartilhar
 
Veículo ficou parcialmente destruído. Os outros 3 ocupantes não se feriram
Veículo ficou parcialmente destruído. Os outros 3 ocupantes não se feriram

Atualizada às 15h20

  Uma mulher de 65 anos morreu em acidente, na manhã desta sexta-feira (20), no km 752 da BR-040, no trecho entre os municípios de Ewbank da Câmara e Santos Dumont. A morte da idosa foi o primeiro óbito registrado pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) durante a operação "Rodovida", que teve início na quinta-feira e se estende até após o carnaval, em março de 2014. A aposentada Ana Ribeiro de Oliveira estava no banco do carona de um Fiat Siena, com placa de Vespasiano (MG), que saiu da pista e capotou várias vezes. Segundo a PRF, o carro era conduzido por um filho da idosa, cuja idade não foi informada. No veículo ainda estavam uma filha dela, 44, e um neto de 13 anos. O motorista e os dois passageiros que ocupavam o banco traseiro não sofreram ferimentos aparentes, mas foram socorridos até a Santa Casa de Santos Dumont para avaliação médica, devido ao estado emocional deles e ao impacto sofrido durante o capotamento. 

  A família seguia de Rio das Ostras (RJ), na Região dos Lagos, para Belo Horizonte, onde iria passar as festas de fim de ano com parentes. Ainda conforme a PRF, por volta das 9h30, o Siena invadiu a contramão em uma curva, chocou-se contra o meio-fio e desceu o terreno abaixo do nível da rodovia capotando por um trecho de, aproximadamente, 30 metros. O carro parou em posição normal, em meio a um matagal, mas destruído, com danos na lataria e para-brisa arrancado. O acidente chegou a mobilizar o helicóptero Pégasus da Polícia Militar de Juiz de Fora, além de viaturas do Corpo de Bombeiros e Samu, mas o óbito de Ana foi confirmado ainda no local, e a aeronave não chegou a atuar. Peritos da Polícia Civil de Barbacena realizaram os levantamentos no local, e o corpo foi removido por uma funerária, sendo encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML) da mesma cidade. 

  De acordo com o policial rodoviário federal Luiz Heleno Lima Corrêa, os sobreviventes ficaram muito abalados com a tragédia. "Eles foram levados para o hospital por precaução, mas, aparentemente, estavam bem." Ainda segundo o policial, o trecho onde aconteceu o acidente é considerado perigoso devido à sinuosidade da pista. O chefe da Delegacia da PRF de Juiz de Fora, Armstrong de Carvalho, lembrou que a operação "Rodovida" conta com ações para prevenir abusos nas estradas e acidentes, por meio de abordagens a veículos, para conferência de documentos, ações com radares móveis e com o uso do etilômetro. "Essa operação é mais abrangente, porque reforçamos o efetivo desde as festas de fim de ano, passando pelo período de férias até o carnaval."

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você acha que o Rio vai conseguir controlar a violência até a Copa do Mundo?