Publicidade

26 de Março de 2014 - 18:12

Por Tribuna

Compartilhar
 

Os mutirões contra a dengue terão início em abril, e a primeira região a receber os trabalhos será a Zona Norte. Com um Levantamento Rápido do Índice de Infestação do Aedes aegypti (Liraa) de 7,1%, a cidade está em situação de risco, segundo a classificação do Ministério da Saúde, que determina como seguro o percentual de até 1% de infestação.

Na região Norte, a ação acontece em duas etapas, nos dias 1º e 7 de abril. Já na Zona Sul, a campanha é prevista para o dia 14 do mesmo mês. No Centro, a data prevista é 28 de abril. Já no dia 5 de maio, o mutirão chega à região Leste. Nos dias 12, 19 e 26 do mesmo mês, as regiões beneficiadas serão a Cidade Alta, a Sudeste e a Nordeste, respectivamente. "A população deve retirar todo lixo e possíveis criadouros das casas para serem recolhidos nas datas dos mutirões", orienta a subsecretária de Vigilância em Saúde, Magda Ferreira.

Para que o combate ao Aedes aegypti seja efetivo, a Prefeitura está atuando em parceria com entidades do município. "O Liraa teve um percentual muito alto em um período de seca. Se a população não se envolver, diminuir a quantidade de lixo e criadouros, a gente nunca vai conseguir acabar com o mosquito", ressalta Magda.

De acordo com a subsecretária, o material educativo já foi levado para as escolas que irão reforçar a campanha com os alunos. Os conselheiros regionais de saúde também foram convocados para ajudar no cerco à doença. Segundo o secretário-executivo do Conselho Municipal de Saúde, Jorge Ramos, os conselheiros irão atuar na identificação das casas fechadas e de seus proprietários. Magda conta que esse é o maior desafio enfrentado pelos agentes epidemiológicos. "Uma casa fechada e uma recusa são um grande problema. Como o conselheiro é conhecido, ele irá saber em qual o horário a equipe poderá ir à residência e saber os motivos das recusas."

Os conselheiros também irão ajudar na conscientização da população para a prevenção. "Temos uma força-tarefa de aproximadamente 900 conselheiros. Eles são os nossos olhos na comunidade. Também queremos envolver os agentes de saúde, pois estão em contato direto com a população", afirma Jorge.

Dengue em números

Neste ano, Juiz de Fora registrou 91 notificações de dengue, com 31 diagnósticos positivos. No mesmo período, em 2013, foram 893 notificações. Durante todo o ano passado, quatro pessoas morreram pela doença e foram confirmados 5.261 casos. Já em 2010, 17 pessoas faleceram com a moléstia. Apesar de os números registrados em 2014 apresentarem redução significativa, é nessa época que a situação se agrava, o que exige atenção.

Os bairros com maior infestação são Vila Mello Reis, na Zona Norte, Grama, na região Nordeste, São Mateus e Bela Aurora, na Zona Sul, Borboleta, na Cidade Alta, Manoel Honório, na região Leste, São Bernardo, Vila Ideal e Vila Ozanan, na região Sudeste. Ao todo, 174 agentes estão atuando no combate à dengue. De acordo com Magda, a verba extra de R$ 400 mil, repassada pelo Governo do estado, será aplicada na aquisição de equipamentos de segurança individual, na manutenção de equipamentos e material e nas campanhas de mídia.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você é a favor da liberação da maconha para uso medicinal?