Publicidade

20 de Janeiro de 2014 - 21:36

Por Tribuna

Compartilhar
 
Bruno Siqueira conferiu as obras no complexo no Bairro São Dimas
Bruno Siqueira conferiu as obras no complexo no Bairro São Dimas

Em visita às obras do Complexo Regulador do Samu, o prefeito Bruno Siqueira (PMDB) anunciou que a inauguração do serviço acontece no dia 8 de fevereiro. O evento contará com a presença do governador Antonio Anastasia. O complexo vai funcionar em um prédio com 2.500 metros quadrados, anexo ao Hospital Regional de Urgência e Emergência, no Bairro São Dimas, Zona Norte, e receberá todas as ligações feitas para o 192. Sua função será definir e encaminhar o tipo de socorro adequado a cada caso e encaminhar o paciente para o hospital que melhor atenda suas necessidades. A obra está orçada em R$ 5,5 milhões.

A rede de urgência e emergência abrange 94 municípios consorciados e 20 hospitais. Dentre eles, estão três unidades de Juiz de Fora: o Hospital Maternidade Therezinha de Jesus, que atenderá casos de trauma e acidentes vasculares cerebrais (AVCs), a Santa Casa, que receberá os casos de infarto agudo do miocárdio, e o Hospital Dr. João Felício, voltado para os casos de AVCs e cardíacos.

Com o empreendimento, o número de ambulâncias em Juiz de Fora dobrou. Agora são seis unidades de suporte básico (USBs) e duas unidades de suporte avançado (USAs). As ambulâncias ficarão em pontos estratégicos da cidade: duas estarão no posto avançado do Corpo de Bombeiros da Zona Norte, duas no posto da corporação da Cidade Alta e duas no quartel da Avenida Brasil, Centro. Também está sendo negociada a unificação das linhas 192 e 193. Cerca de 750 profissionais passam por treinamento para atuar no novo Samu.

O prefeito afirma que, com a rede operando, será possível desafogar o Hospital de Pronto Socorro (HPS). "Com menos pessoas sendo levadas para o HPS, os profissionais, como traumatologistas, poderão realizar os atendimentos de porta aberta." Segundo o secretário de Saúde, José Laerte Barbosa, a sala de monitoramento estará conectada com as câmeras de segurança da cidade. "Se o médico vir um acidente, ele mesmo dispara a ambulância. O objetivo é reduzir o tempo resposta."

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você acha que o Rio vai conseguir controlar a violência até a Copa do Mundo?