Publicidade

04 de Abril de 2014 - 21:02

Por Marcos Araújo

Compartilhar
 

Quatrocentas e noventa pessoas maiores de 18 anos e 61 adolescentes que cometeram crimes em municípios que fazem parte da 4ª Região Integrada de Segurança Pública (Risp) estão na mira da polícia. A região é composta por 51 municípios, entre eles Juiz de Fora. Elas estão no banco de dados de Minas que, ao todo, inclui 7.818 nomes de recorrentes em crimes de homicídio, roubo e furto e que deverão ser presas ou apreendidas para cumprir pena nos próximos meses. A meta faz parte do "Pacto contra a impunidade", lançado na última quinta-feira pelo governo do Estado e que tem o objetivo de reduzir a impunidade de quem reincide na prática criminosa. Só de Juiz de Fora a lista contempla 194 adultos e 20 adolescentes que deverão ser recolhidos. A Secretaria de Estado de Defesa Social (Seds), as polícias Civil e Militar, o Ministério Público e o Poder Judiciário vão trabalhar de forma integrada para priorizar e acelerar inquéritos, denúncias e processos de indivíduos que têm influência nas estatísticas de criminalidade e na sensação de segurança da população.

Antes de deixar o cargo de governador, Antonio Anastasia disse que esta é mais uma ação necessária no combate à criminalidade. "Isso identifica o fenômeno que a polícia chama de enxugar o gelo. Ela prende e, depois, solta, porque não é questão da polícia, é a legislação brasileira que, lamentavelmente, permite que as pessoas sejam presas e, depois, não cumpram a pena. Então, há uma grande sensação de impunidade. Esse prende e solta acaba estimulando a ação criminosa. A equipe da Defesa Social identificou, neste trabalho, mais de sete mil pessoas que são recorrentes, que cometeram várias infrações e crimes. Essas pessoas terão um acompanhamento para evitar que cometam novos crimes", destacou o governador.

Os recorrentes estarão listados em um arquivo geral, detalhado por regiões, que cada comandante de Região de Polícia Militar, chefe de Departamento de Polícia Civil, juiz e promotor designado para Risps irá receber para avaliar e tomar as medidas cabíveis para se chegar a uma responsabilização célere. "Fizemos um levantamento de todas as ocorrências, todas as conduções que a Polícia Militar realizou em Minas Gerais em 2011, 2012 e 2013. Do total, 400 mil indivíduos realizaram um milhão de ocorrências, já que há indivíduos que realizaram mais de uma, duas ou até mais infrações. A partir daí, fizemos um trabalho de filtragem entre 300 mil indivíduos aproximadamente, abstraímos aqueles que prioritariamente para nós, em razão da prática de roubos, furtos e homicídios, são de interesse do sistema para que possamos responsabilizá-los e promover o recolhimento desses indivíduos em um determinado prazo", explicou o secretário de Defesa Social, Rômulo Ferraz, ressaltando que, a cada dois meses, a Seds avaliará o andamento das estratégias adotadas e dos resultados obtidos em todo o estado.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você confia nas pesquisas eleitorais?